Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 6,8-15)
Leitura dos Atos dos Apóstolos

Naqueles dias, 8Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga de Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão.

10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. 11Então subornaram alguns indivíduos, que disseram: “Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus”. 12Desse modo, incitaram o povo, os anciãos e os doutores da Lei, que prenderam Estêvão e o conduziram ao Sinédrio.

13Aí apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não cessa de falar contra este lugar santo e contra a Lei. 14E nós o ouvimos afirmar que Jesus Nazareno ia destruir este lugar e ia mudar os costumes que Moisés nos transmitiu”.

15Todos os que estavam sentados no Sinédrio tinham os olhos fixos sobre Estêvão, e viram seu rosto como o rosto de um anjo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 118,23-30)

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.
— Que os poderosos reunidos me condenem; o que me importa é o vosso julgamento! Minha alegria é a vossa Aliança, meus conselheiros são os vossos mandamentos.

— Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade! Fazei-me conhecer vossos caminhos, e então meditarei vossos prodígios!

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei como um presente! Escolhi seguir a trilha da verdade, diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

Evangelho (Jo 6,22-29)— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.
Depois que Jesus saciara os cinco mil homens, seus discípulos o viram andando sobre o mar. 22No dia seguinte, a multidão que tinha ficado do outro lado do mar constatou que havia só uma barca e que Jesus não tinha subido para ela com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos.

23Entretanto, tinham chegado outras barcas de Tiberíades, perto do lugar onde tinham comido o pão depois de o Senhor ter dado graças. 24Quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum.

25Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” 26Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. 27Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”.

28Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Lutemos para que Jesus seja o alimento da nossa família

“Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará” (João 6,27).

O que é a nossa vida senão levantar cedo para trabalhar e voltar para a casa no final do dia, para poder ganhar o pão de cada dia, o pão cotidiano para alimentar a nós e os filhos? É para isso que o pai e a mãe trabalham, é nisso que, muitas vezes, se resume os esforços humanos: para colocar o pão dentro de casa, o pão que o próprio Senhor disse aos nossos pais no paraíso, o pão ganhado com o suor do rosto.

É preciso ter consciência e, ao mesmo tempo, serenidade na vida para entender que a vida não se resume na luta pelo pão de cada dia. E que não falte! Porque, muitas vezes, quantos pais de família querem trabalhar e falta trabalho ou até um trabalho digno, ou quantas vezes o esforço humano não é compensado? Mas não podemos deixar de anunciar aquilo que Cristo está nos anunciando.

É necessário trabalhar, buscar o pão cotidiano para que não falte o alimento, não falte o necessário e o importante dentro de nossas casas e famílias. É importante também dizer que não podemos viver somente em função de trabalhar, não podemos viver somente em função de ter o pão dentro da nossa casa, ter o alimento, ter as nossas necessidades satisfeitas e saciadas com o fruto do nosso trabalho.

Não cansemos de nos esforçar para que Jesus seja o alimento da nossa casa e da nossa família

É preciso um esforço pelo alimento que permanece até a vida eterna, porque senão que frustrante seria a nossa vida se chegarmos no acaso dela e olharmos o que fizemos da vida: só trabalhamos e labutamos? Buscamos a cada dia o pão da vida, o pão que dá sentindo à nossa vida.

Por isso, o pai e a mãe que trabalham para colocar o pão dentro de casa, trabalhem, por favor, para alimentar os seus com o Pão da Palavra, com o Pão da Vida, com o Pão que é Jesus. Alimente a sua casa de Deus, alimente os seus filhos e a sua própria vida com Jesus, Palavra Viva, com Jesus o Pão vivo da Palavra e na Eucaristia, com Jesus o Pão da Vida que nos dá a vida a cada dia.

Isso se faz no cotidiano da vida, isso se faz alimentando-se na hora das refeições com a Palavra, isso se faz com a oração cotidiana, com o se colocar na presença de Deus.

Não permita que a família se reúna em torno da mesa somente para comer, mas que a família se reúna em torno da Palavra, em torno de Jesus. Que coloquemos em Jesus toda a nossa confiança e esperança, não cansemos de nos esforçar para que Jesus seja o alimento da nossa casa e da nossa família.

Esforce-se mesmo, porque o esforço é colocar força na nossa luta, e só conseguiremos colocar Jesus em nossas casas, se nos esforçarmos.

Se você faz corpo mole, se você segue a tendência do cansaço e do desânimo, se você esmorece, se deixa de rezar, se não leva os seus para rezar, se você não traz a Palavra para dentro de casa ela vai saindo, vai perdendo o espaço, vai perdendo o lugar; e Jesus tem perdido o lugar em nossas casas para a televisão, para a internet, redes sociais, smartfones; Ele tem perdido o lugar para as diversões e distrações da vida, e a nossa vida está se tornando sem sabor e sem gosto porque não estamos nos alimentando de Jesus, do Pão da Palavra e da Vida, e não estamos alimentando os nossos.

Esforce-se! Não somente pelo pão cotidiano, mas para que na sua casa tenha a cada dia o pão que dá a vida eterna.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.