Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 6,8-15)
Leitura dos Atos dos Apóstolos

Naqueles dias, 8Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga de Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão.

10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. 11Então subornaram alguns indivíduos, que disseram: “Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus”. 12Desse modo, incitaram o povo, os anciãos e os doutores da Lei, que prenderam Estêvão e o conduziram ao Sinédrio.

13Aí apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não cessa de falar contra este lugar santo e contra a Lei. 14E nós o ouvimos afirmar que Jesus Nazareno ia destruir este lugar e ia mudar os costumes que Moisés nos transmitiu”.

15Todos os que estavam sentados no Sinédrio tinham os olhos fixos sobre Estêvão, e viram seu rosto como o rosto de um anjo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 118,23-30)

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.
— Que os poderosos reunidos me condenem; o que me importa é o vosso julgamento! Minha alegria é a vossa Aliança, meus conselheiros são os vossos mandamentos.

— Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade! Fazei-me conhecer vossos caminhos, e então meditarei vossos prodígios!

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei como um presente! Escolhi seguir a trilha da verdade, diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

Evangelho (Jo 6,22-29)— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.
Depois que Jesus saciara os cinco mil homens, seus discípulos o viram andando sobre o mar. 22No dia seguinte, a multidão que tinha ficado do outro lado do mar constatou que havia só uma barca e que Jesus não tinha subido para ela com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos.

23Entretanto, tinham chegado outras barcas de Tiberíades, perto do lugar onde tinham comido o pão depois de o Senhor ter dado graças. 24Quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum.

25Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” 26Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. 27Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”.

28Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Lutemos para que Jesus seja o alimento da nossa família

“Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará” (João 6,27).

O que é a nossa vida senão levantar cedo para trabalhar e voltar para a casa no final do dia, para poder ganhar o pão de cada dia, o pão cotidiano para alimentar a nós e os filhos? É para isso que o pai e a mãe trabalham, é nisso que, muitas vezes, se resume os esforços humanos: para colocar o pão dentro de casa, o pão que o próprio Senhor disse aos nossos pais no paraíso, o pão ganhado com o suor do rosto.

É preciso ter consciência e, ao mesmo tempo, serenidade na vida para entender que a vida não se resume na luta pelo pão de cada dia. E que não falte! Porque, muitas vezes, quantos pais de família querem trabalhar e falta trabalho ou até um trabalho digno, ou quantas vezes o esforço humano não é compensado? Mas não podemos deixar de anunciar aquilo que Cristo está nos anunciando.

É necessário trabalhar, buscar o pão cotidiano para que não falte o alimento, não falte o necessário e o importante dentro de nossas casas e famílias. É importante também dizer que não podemos viver somente em função de trabalhar, não podemos viver somente em função de ter o pão dentro da nossa casa, ter o alimento, ter as nossas necessidades satisfeitas e saciadas com o fruto do nosso trabalho.

Não cansemos de nos esforçar para que Jesus seja o alimento da nossa casa e da nossa família

É preciso um esforço pelo alimento que permanece até a vida eterna, porque senão que frustrante seria a nossa vida se chegarmos no acaso dela e olharmos o que fizemos da vida: só trabalhamos e labutamos? Buscamos a cada dia o pão da vida, o pão que dá sentindo à nossa vida.

Por isso, o pai e a mãe que trabalham para colocar o pão dentro de casa, trabalhem, por favor, para alimentar os seus com o Pão da Palavra, com o Pão da Vida, com o Pão que é Jesus. Alimente a sua casa de Deus, alimente os seus filhos e a sua própria vida com Jesus, Palavra Viva, com Jesus o Pão vivo da Palavra e na Eucaristia, com Jesus o Pão da Vida que nos dá a vida a cada dia.

Isso se faz no cotidiano da vida, isso se faz alimentando-se na hora das refeições com a Palavra, isso se faz com a oração cotidiana, com o se colocar na presença de Deus.

Não permita que a família se reúna em torno da mesa somente para comer, mas que a família se reúna em torno da Palavra, em torno de Jesus. Que coloquemos em Jesus toda a nossa confiança e esperança, não cansemos de nos esforçar para que Jesus seja o alimento da nossa casa e da nossa família.

Esforce-se mesmo, porque o esforço é colocar força na nossa luta, e só conseguiremos colocar Jesus em nossas casas, se nos esforçarmos.

Se você faz corpo mole, se você segue a tendência do cansaço e do desânimo, se você esmorece, se deixa de rezar, se não leva os seus para rezar, se você não traz a Palavra para dentro de casa ela vai saindo, vai perdendo o espaço, vai perdendo o lugar; e Jesus tem perdido o lugar em nossas casas para a televisão, para a internet, redes sociais, smartfones; Ele tem perdido o lugar para as diversões e distrações da vida, e a nossa vida está se tornando sem sabor e sem gosto porque não estamos nos alimentando de Jesus, do Pão da Palavra e da Vida, e não estamos alimentando os nossos.

Esforce-se! Não somente pelo pão cotidiano, mas para que na sua casa tenha a cada dia o pão que dá a vida eterna.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios