Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Tm 3,1-13)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo.

Caríssimo, 1eis uma palavra verdadeira: quem aspira ao episcopado, saiba que está desejando uma função sublime. 2Porque o bispo tem o dever de ser irrepreensível, marido de uma só mulher, sóbrio, prudente, modesto, hospitaleiro, capaz de ensinar. 3Não deve ser dado a bebidas nem violento, mas condescendente, pacífico, desinteressado. 4Deve saber governar bem sua casa, educar os filhos na obediência e castidade. 5Pois, quem não sabe governar a própria casa, como governará a Igreja de Deus? 6Não pode ser um recém-convertido para não acontecer que, ofuscado pela vaidade, venha a cair na mesma condenação que o demônio. 7Importa também que goze de boa consideração da parte dos de fora para que não se exponha à infâmia e caia nas armadilhas do diabo. 8Do mesmo modo os diáconos devem ser pessoas de respeito, homens de palavra, não inclinados à bebida, nem a lucro vergonhoso. 9Possuam o mistério da fé junto com uma consciência limpa. 10Antes de receber o cargo sejam examinados; se forem considerados dignos, poderão exercer o ministério. 11Também as mulheres devem ser honradas sem difamação mas sóbrias e fiéis em tudo. 12Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e saibam dirigir bem os seus filhos e a sua própria casa. 13Pois os que exercem bem o ministério, recebem uma posição de estima e muita liberdade para falar da fé em Cristo Jesus.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 100)

— Viverei na pureza do meu coração!

— Viverei na pureza do meu coração!

— Eu quero cantar o amor e a justiça, cantar os meus hinos a vós, ó Senhor! Desejo trilhar o caminho do bem, mas quando vireis até mim, ó Senhor?

— Viverei na pureza do meu coração, no meio de toda a minha família. Diante dos olhos eu nunca terei qualquer coisa má, injustiça ou pecado.

— Farei que se cale diante de mim quem é falso e às ocultas difama seu próximo; o coração orgulhoso, o olhar arrogante não vou suportar e não quero nem ver.

— Aos fiéis desta terra eu volto meus olhos; que eles estejam bem perto de mim! Aquele que vive fazendo o bem será meu ministro, será meu amigo.

Evangelho (Lc 7,11-17)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 11Jesus dirigiu-se a uma cidade chamada Naim. Com ele iam seus discípulos e uma grande multidão. 12Quando chegou à porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único; e sua mãe era viúva. Grande multidão da cidade a acompanhava. 13Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela e lhe disse: “Não chores!”

14Aproximou-se, tocou o caixão, e os que o carregavam pararam. Então, Jesus disse: “Jovem, eu te ordeno, levanta-te!” 15O que estava morto sentou-se e começou a falar. E Jesus o entregou à sua mãe. 16Todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus, dizendo: “Um grande profeta apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo”. 17E a notícia do fato espalhou-se pela Judeia inteira e por toda a redondeza.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Jesus é o consolo para o sofrimento de todas as mães

Jesus quer ser o consolo de todas as mães que sofrem e estão, no dia a dia, tendo de acompanhar as angústias, os ânimos e fracassos de seus filhos

“Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela e lhe disse: ‘Não chores!’” (Lc 7,13).

Jesus está chegando na cidade de Naim. Quando Ele entra nesse pequeno povoado, há uma procissão, um velório, ali, porque uma mãe perdeu seu filho único. Essa mãe, além de perder o filho, é viúva, e essa é a causa da dor e do sofrimento dela, pois, além de não ter mais o esposo, ela não tem mais seu filho.

Penso que uma das dores mais difíceis e duras de um coração é a dor de uma mãe que tem de enterrar um filho. É uma espada de sofrimento e dor, que passa no coração dessa mãe, que não há modo de explicarmos tamanho sofrimento.

Assim como Jesus teve compaixão dessa viúva de Naim, Ele tem compaixão das dores de nossas mães; sejam mães que precisam enterrar seus filhos, sejam as que precisam chorar por eles, ou aquelas que, muitas vezes, não sabem o que fazer com os sofrimentos, com seus filhos (crianças pequenas ou filhos já crescidos).

Nada é mais importante para o coração de uma mãe do que um filho, pois este sai do coração, sai do ventre, das entranhas dela. Todo filho precisa tomar consciência de que, por mais que seja independente e precise seguir sua vida, ele nunca sai do coração de uma mãe.

A mãe quer ver o filho ir longe, quer vê-lo prosperar e dar certo. A alegria do filho é a alegria da mãe, o sofrimento e a dor dele é o sofrimento e a dor dela. Uma mãe acompanha tudo que o filho passa, tudo o que ele vive.

Os filhos não podem ser indiferentes ao coração, à dor, ao sofrimento e a tudo aquilo que a mãe vive. O coração de uma mãe nunca se desliga do coração do filho. Ele pode morar longe, pode viver o que tem para viver na vida, mas, no coração da mãe, o filho será sempre filho.

Hoje, Jesus quer ser o consolo e o amparo de todas as mães que sofrem e estão, no dia a dia, tendo de acompanhar as angústias, vitórias e derrotas de seus filhos, também os ânimos e fracassos. O mais importante é que cada filho saiba ser consolo para sua mãe, e que cada mãe saiba que tem o consolo de Deus na sua luta de cada dia para amar seus filhos.

Deus abençoe você!

Ouça a Homilia

https://www.youtube.com/watch?v=DLO2MTnUf-k

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios