Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Ef 4,1-7.11-13)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 1eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor. 3Aplicai-vos a guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz.

4Há um só Corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados. 5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. 7Cada um de nós recebeu a graça na medida em que Cristo lha deu. 11E foi ele quem instituiu alguns como apóstolos, outros como profetas, outros ainda como evangelistas, outros, enfim, como pastores e mestres.

12Assim, ele capacitou os santos para o ministério, para edificar o corpo de Cristo, 13até que cheguemos todos juntos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito e à estatura de Cristo em sua plenitude.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 18)

— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

— Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento, a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia!

— Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz!

Evangelho (Mt 9,9-13)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 9Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus.

10Enquanto Jesus estava à mesa, na casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?”

12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

A misericórdia divina transforma o nosso coração ferido

 “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’” (Mateus 9,12-13).

Hoje, celebramos o dia do apóstolo São Mateus. Mateus é o publicano que está sentado na coletoria de impostos e que ouviu o chamado de Jesus: “Segue-me”, e ele de todo o coração foi seguir o Mestre Jesus, deixou para trás tudo de errado que havia cometido para começar a vida no seguimento de Jesus.

Como é importante deixar que a Palavra de Jesus, o chamado de Jesus, ressoe em nossos corações. Seguir Jesus não significa simplesmente participar da Igreja, ir em uma missa; seguir Jesus não significa ser membro de uma pastoral ou de um grupo da igreja. Seguir Jesus é deixar para trás aquilo que não convém ao Evangelho, seguir Jesus é deixar para trás as forças do pecado que, muitas vezes, amarram e prendem o nosso coração.

Seguir Jesus é deixar de seguir o mundo, seguir as inclinações do coração; seguir Jesus é não deixar-se corromper mais por todo o fascínio que a corrupção do mundo exerce sobre a nossa vida. Seguir Jesus é deixar que o Evangelho fale mais alto ao nosso coração, mas é, acima de tudo, ser curado e transformado pelo bálsamo da misericórdia divina.

É a misericórdia que cura o nosso coração ferido, manchado e marcado pelo drama do pecado

O pecado deixa marcas no nosso coração, porque o pecado deixa o nosso coração ferido, arraigado, preso e inclinado para o mal. Não é a condenação, não é jogar a coisa na cara das pessoas, não é condenar, não é discriminar, pelo contrário, é acolher, é deixar que o bálsamo da misericórdia vá exercendo a cura, a libertação, a restauração da alma e do coração.

É por isso que o Senhor não quer o sacrifício, Ele quer a misericórdia, porque nós, muitas vezes, fazemos muitos sacrifícios para Deus, fazemos longas orações, fazemos penitência, e todas elas têm sua importância, todas elas são fundamentais no processo de conversão, mas nada é mais sublime do que o exercício da misericórdia.

É na misericórdia que somos resgatados, salvos e libertos. É a misericórdia que cura o nosso coração ferido, manchado e marcado pelo drama do pecado. É com a misericórdia que precisamos acolher uns aos outros.

A nossa cabeça está cheia de julgamentos, juízos, conceitos, preconceitos e rótulos. Estamos cheios de convicções pessoais a respeito desse, daquele, daquela situação, quando o principal, aquilo que nos converte primeiro, é a misericórdia. E é pela misericórdia que vou também me aproximar das pessoas e dos corações.

“Não vim para chamar os justos, mas os pecadores”. Apresentamos nossos pecados à misericórdia de Deus, para nos convertermos a cada dia e, sobretudo, sabermos acolher uns aos outros.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.