Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Sm 16,1b.6-7.10-13a)

Leitura do Primeiro Livro de Samuel:

Naqueles dias, o Senhor disse a Samuel: 1bEnche o chifre de óleo e vem para que eu te envie à casa de Jessé de Belém, pois escolhi um rei para mim entre os seus filhos. 6Assim que chegou, Samuel viu a Eliab e disse consigo “Certamente é este o ungido do Senhor!” 7Mas o Senhor disse-lhe: Não olhes para a sua aparência nem para a sua grande estatura, porque eu o rejeitei. Não julgo segundo os critérios do homem: o homem vê as aparências, mas o Senhor olha o coração”.

10Jessé fez vir seus sete filhos à presença de Samuel, mas Samuel disse: “O Senhor não escolheu a nenhum deles”. 11E acrescentou: “Estão aqui todos os teus filhos?”

Jessé respondeu: Resta ainda o mais novo que está apascentando as ovelhas”. E Samuel ordenou a Jessé: “Manda buscá-lo, pois não nos sentaremos à mesa enquanto ele não chegar”. 12Jessé mandou buscá-lo. Era Davi, ruivo, de belos olhos e de formosa aparência. E o Senhor disse: “Levanta-te, unge-o: é este!”

13aSamuel tomou o chifre com óleo e ungiu a Davi na presença de seus irmãos. E a partir daquele dia o espírito do Senhor se apoderou de Davi.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 22)

— O Senhor é o pastor que me conduz;/ não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz;/ não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz;/ não me falta coisa alguma./ Pelos prados e campinas verdejantes/ ele me leva a descansar./ Para as águas repousantes me encaminha,/ e restaura as minhas forças.

— Ele me guia no caminho mais seguro,/ pela honra do seu nome./ Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso,/ nenhum mal eu temerei./ Estais comigo com bastão e com cajado,/ eles me dão a segurança!

— Preparais à minha frente uma mesa,/ bem à vista do inimigo;/ com óleo vós ungis minha cabeça,/ e o meu cálice transborda.

— Felicidade e todo bem hão de seguir-me,/ por toda a minha vida;/ e, na casa do Senhor, habitarei/ pelos tempos infinitos.

Segunda Leitura (Ef 5,8-14)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: 8Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. Vivei como filhos da luz. 9E o fruto da luz chama-se: bondade, justiça, verdade. 10Discerni o que agrada ao Senhor. 11Não vos associeis às obras das trevas, que não levam a nada; antes, desmascarai-as. 12O que essa gente faz em segredo, tem vergonha até de dizê-lo. 13Mas tudo que é condenável torna-se manifesto pela luz; e tudo o que é manifesto é luz. 14É por isso que se diz: “Desperta, tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e sobre ti Cristo resplandecerá”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Anúncio do Evangelho (Jo 9,1.6-9.13-17.34-38 – Forma breve.)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós!

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1ao passar, Jesus viu um homem cego de nascença. 6E cuspiu no chão, fez lama com a saliva e colocou-a sobre os olhos do cego. 7E disse-lhe: “Vai lavar-te na piscina de Siloé” (que quer dizer: Enviado). O cego foi, lavou-se e voltou enxergando. 8Os vizinhos e os que costumavam ver o cego — pois ele era mendigo — diziam: “Não é aquele que ficava pedindo esmola?” 9Uns diziam: “Sim, é ele!” Outros afirmavam: “Não é ele, mas alguém parecido com ele”. Ele, porém, dizia: “Sou eu mesmo!”

13Levaram então aos fariseus o homem que tinha sido cego. 14Ora, era sábado, o dia em que Jesus tinha feito lama e aberto os olhos do cego. 15Novamente, então, lhe perguntaram os fariseus como tinha recuperado a vista. Respondeu-lhes: “Colocou lama sobre os meus olhos, fui lavar-me e agora vejo!”

16Disseram, então, alguns dos fariseus: “Esse homem não vem de Deus, pois não guarda o sábado”. Mas outros diziam: “Como pode um pecador fazer tais sinais?”

17E havia divergência entre eles. Perguntaram outra vez ao cego: “E tu, que dizes daquele que te abriu os olhos?” Respondeu: “É um profeta”.

34Os fariseus disseram-lhe: “Tu nasceste todo em pecado e estás nos ensinando?” E expulsaram-no da Comunidade. 35Jesus soube que o tinham expulsado. Encontrando-o, perguntou-lhe: “Acreditas no Filho do Homem?” 36Respondeu ele: “Quem é, Senhor, para que eu creia nele?” 37Jesus disse: “Tu o estás vendo; é aquele que está falando contigo”. Exclamou ele: 38“Eu creio, Senhor!” E prostrou-se diante de Jesus.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Jesus é a luz que ilumina as nossas trevas

 “‘Enquanto estou no mundo, eu sou a luz do mundo.’ Dito isto, Jesus cuspiu no chão, fez lama com a saliva e colocou-a sobre os olhos do cego. E disse-lhe: ‘Vai lavar-te na piscina de Siloé’ (que quer dizer: Enviado). O cego foi, lavou-se e voltou enxergando” (João 9,5-7).

O cego de nascença, apresentado para nós no Evangelho de hoje, é colocado como o lugar da realização do Reino de Deus. Porque, na verdade, é nas trevas e na escuridão que se encontra o mundo em que estamos: obscuro, cercado por males, não enxerga a verdade. E assim se encontra também a vida de muitos de nós.

Vivemos nas trevas, na escuridão e sem enxergar a luz da verdade no nosso próprio coração. É Jesus que está nos dizendo: “Eu estou no mundo como a luz do mundo”. A luz que veio para iluminar as nossas trevas e abrir os nossos olhos, para que enxerguemos a verdade.

Precisamos nos colocar na presença d’Ele, para que Ele abra os nossos olhos. Viemos da saliva de Deus, que toca no barro e dele gera a vida. Da saliva e do sopro do Espírito, no barro, nasce o homem novo que enxerga a graça e o Reino de Deus, o homem que não está fechado no seu orgulho, no seu egoísmo, na sua soberba nem nas trevas do seu coração.

Jesus quer abrir os nossos olhos, Ele quer que enxerguemos, porque enxergamos tantas coisas que não deveríamos, mas não somos capazes de enxergar a verdade que vem de Deus.

Jesus é a luz que veio para iluminar as nossas trevas e abrir os nossos olhos para que enxerguemos a verdade

A primeira postura é a humildade, aquele que acolhe e reconhece o Reino de Deus como dádiva e dom, aquele que reconhece Jesus como luz e deixa a luz d’Ele entrar nos recantos mais escondidos da alma e do coração. É preciso enxergar a nossa miséria, a nossa fraqueza e, buscando o socorro e a luz de Deus, permitir que a graça d’Ele nos guie.

Vivemos numa sociedade cercada por muitas obscuridades, vivemos num mundo cercado de ilusões e enganos. Assim, vivemos e estamos penetrados neste mundo.

Precisamos deixar que a graça de Deus acenda em nós para enxergarmos o mundo com o olhar e a graça d’Ele. Precisamos abrir os olhos para que nos tornemos luz para tantos que não enxergam e não caminham na vida em Jesus. Precisamos deixar que Deus abra os nossos olhos, porque um cego não pode guiar outro cego. Quando isso acontece, caminhamos todos para o mesmo buraco, abismo, erro e para a mesma escuridão.

Digamos ‘não’ à ignorância do coração e permitamos que Deus ilumine a nossa razão, cure a emoção da nossa alma, dos nossos sentimentos e afetos, para que em tudo enxerguemos a verdade.

Deus abençoe você!   

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Faceboo

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios