Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Eclo 5,1-10)

Leitura do Livro do Eclesiástico.

1Não confies nas tuas riquezas e não digas: “Basta-me viver!” 2Não deixes que tua força te leve a seguir as paixões do coração. 3Não digas: “Quem terá poder sobre mim?” ou: “Quem me fará prestar contas das minhas ações?”, pois o Senhor, com certeza, te castigará. 4Não digas: “Pequei, e que de mal me aconteceu?”, pois o Altíssimo é paciente. 5Não percas o temor por causa do perdão, cometendo pecado sobre pecado. 6Não digas: “A misericórdia do Senhor é grande, ele me perdoará a multidão dos meus pecados!”, 7pois dele procedem misericórdia e cólera, e sua ira se abate sobre os pecadores. 8Não demores em voltar para o Senhor, e não adies de um dia para outro, 9pois a sua cólera vem de repente e, no dia do castigo, serás aniquilado. 10Não te apoies em riquezas injustas, pois elas de nada te valerão no dia da desgraça.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 1)

— É feliz quem a Deus se confia!

— É feliz quem a Deus se confia!

— Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar.

— Eis que ele é semelhante a uma árvore que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.

— Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte.

Evangelho (Mc 9,41-50)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 41disse Jesus aos seus discípulos: “Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42E se alguém escandalizar um desses pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço.

43Se tua mão te leva a pecar, corta-a! 44É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45Se teu pé te leva a pecar, corta-o! 46É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, 48‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’. 49Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. 50Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Que os nossos membros nos levem para o Céu

Disciplinar os nossos membros para que sejam bênçãos, não maldições

“É teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno” (Mc 9,45)

Quando escutamos esse Evangelho, parece que Jesus está sendo muito duro, exigente, porque manda cortar o pé, a mão, o olho… Indo nesta proporção da lógica, daqui a pouco não sobra nada no ser humano!

Na verdade, o mestre da vida está nos ensinando a encaminharmos nossos membros para o Reino do Céus, senão eles andarão soltos, indisciplinados, sem regras, indo para qualquer lado, levando-nos ao caminho da perdição, do inferno. Quantas vezes os nossos pés são conduzidos para o lado errado, para onde não devemos ir!

Quantas vezes a nossa mão, que é para fazer o bem, acaba fazendo o mal, aquilo que não é para fazer! Quantas vezes o nosso olhar, que é para olhar para as coisas do céu, olhar com olhar de Deus, reveste-se com um olhar do mal! O que Jesus quer é que nossas mãos sejam curadas, abençoadas, que nossos pés sejam abençoados e nos levem para o céu.

O que Jesus quer é que nossos olhos sejam iluminados pela graça divina. Então, corta o seu olho do que ele tem de humano, diabólico, infernal, para que ele seja iluminado pela graça de Deus. Tira as suas mãos, porque se elas estiverem muito indisciplinadas, estão fazendo coisas que não convêm, que é errado, precisamos discipliná-la, disciplinar os pés e todo nosso corpo.

Na verdade, o que o Mestre nos ensina é termos disciplina interior. Não é assim que fazemos com as nossas crianças quando estão aprendendo a usar a mão? “Menino, não pega isso, porque não pode!”. A criança vai aprendendo, vai se disciplinando, pois se não aprenderem muitas delas até morrem, põem o dedo onde não é para por e leva um choque. Tão cedo a criança já perde a vida!

Nós, muita vezes, perdemos também a nossa vida, a nossa comunhão com Deus, porque não disciplinamos nossos membros, nosso olhar, nossa mente e cabeça, nossos pés, mãos e todo nosso interior. Precisamos encaminhar o nosso corpo para a direção de Deus.

Não é simplesmente o coração que está em Deus, é o nosso ser inteiro, a vida inteira. Somos nós, por inteiro, que precisamos ir para Deus.

A língua, por exemplo, como precisamos discipliná-la para que seja um instrumento de salvação, para que não seja um instrumento que nos leve à perdição. Muitas vezes, palavras malditas saem também da nossa boca; e em vez de edificarmos com aquilo que falamos, perdemo-nos e levamos os outros a se perderem por causa das nossa palavras.

Que Jesus santifique tudo aquilo que somos – corpo, alma e espírito –, para que vivamos na Terra, mas na direção do céu.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Santo do dia: São Policarpo - Bispo da Igreja primitiva

Discípulo de São João, São Policarpo testemunhou o amor a Cristo com sua própria vida

O santo deste dia é um dos grandes Padres Apostólicos, ou seja, pertencia ao número daqueles que conviveram com os primeiros apóstolos e serviram de elo entre a Igreja primitiva e a Igreja do mundo greco-romano.

São Policarpo foi ordenado Bispo de Esmirna pelo próprio São João, o Evangelista. De caráter reto, de elevado saber, amor à Igreja e fiel à ortodoxia da fé, era respeitado por todos no Oriente.

Com a perseguição aos cristãos, o santo Bispo de 86 anos, escondeu-se até ser preso e levado para o governador, que pretendia convencê-lo de ofender a Cristo. Policarpo, porém, proferiu estas palavras: “Há oitenta e seis anos sirvo a Cristo e nenhum mal tenho recebido dele. Como poderei rejeitar Àquele a quem prestei culto e reconheço como meu Salvador”.

Condenado à morte no estádio da cidade, ele próprio subiu na fogueira e testemunhou para o povo: “Sede bendito para sempre, ó Senhor; que o Vosso Nome adorável seja glorificado por todos os séculos”. São Policarpo viveu o seu nome – poli=muitos, carpo=fruto – muitos frutos”, que foram regados com suor, lágrimas e, no seu martírio no ano de 155, regado também com sangue.

São Policarpo, rogai por nós!

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios