Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 6,8-10;7,54-59)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

8Naqueles dias, Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga dos Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão. 10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava.

7,54Ao ouvir essas palavras, eles ficaram enfurecidos e rangeram os dentes contra Estêvão. 55Estêvão, cheio do Espírito Santo, olhou para o céu e viu a glória de Deus e Jesus, de pé, à direita de Deus. 56E disse: “Estou vendo o céu aberto, e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus”. 57Mas eles, dando grandes gritos e tapando os ouvidos, avançaram todos juntos contra Estêvão; 58arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem, chamado Saulo. 59Enquanto o apedrejavam, Estêvão clamou dizendo: “Senhor Jesus, acolhe o meu espírito”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 30)

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

— Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve. Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; por vossa honra orientai-me e conduzi-me.

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel. Vosso amor me faz saltar de alegria, pois olhastes para as minhas aflições.

— Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor! Mostrai serena a vossa face ao vosso servo, e salvai-me pela vossa compaixão!

Evangelho (Mt 10,17-22)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: 17“Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. 18Vós sereis levados diante de governadores e reis, por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados como falar ou o que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. 21O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão. 22Vós sereis odiados por todos, por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Solte a sua língua para dobrar o nome do Senhor

 “Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho” (Lucas 1,57).

Contemplamos hoje, na Liturgia, o nascimento de João Batista, o filho de Isabel e de Zacarias. A própria Palavra nos mostra que Zacarias estava mudo, desde que o Anjo o visitou e ele duvidara. A dúvida nos coloca na incerteza, a dúvida nos coloca na esterilidade da fé, a dúvida daquilo de que Deus é capaz, a dúvida de duvidar do que Deus pode fazer.

É preciso se voltar para o silêncio da escuta para não ficarmos estéreis e mudos na vida, e sim para que a graça de Deus aconteça em nós. Por isso, neste tempo, Zacarias ficou recolhido, ele ficou tentando compreender no seu coração aquilo que Deus realizara; um sacerdote como ele, de idade avançada, uma esposa estéril de idade avançada e, nós, muitas vezes, temos mais porquês, dúvidas, questionamentos sobre a ação de Deus, do que a submissão a Deus, do que obediência a Deus, do que se colocar, de fato, nas mãos de Deus e confiar na Sua graça que faz nova todas as coisas.

Solte a sua língua para louvar, agradecer, para bendizer, para reconhecer tudo aquilo que Deus realiza no meio de nós

A ação de Deus na nossa vida vai para além dos nossos porquês, a ação de Deus ultrapassa a nossa compreensão humana e intelectual. Quando João nasceu, no mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou e ele, que antes duvidava, agora louvava, estava bendizendo, agradecendo e exaltando o nome do Senhor, Nosso Deus.

Passamos boa parte da vida cheios de porquês, perguntando, questionando, duvidando e não permitindo que a graça de Deus se realize em nós. Abra a sua boca, solte a sua língua para louvar, agradecer, para bendizer, para reconhecer tudo aquilo que Deus realiza no meio de nós.

Você já parou para louvar a Deus pela própria vida? Já louvou a Deus pelos filhos que você tem? Não é apenas um louvor de pensamento, é um louvor onde realmente a língua se solta. Porque, infelizmente, nossa língua tem se soltado para reclamar, murmurar, para falar mal. Bendita é a língua que se solta para louvar e para engrandecer o Senhor. Às vezes, a nossa língua mal se solta para dizer “amém”, mas a língua que se coloca a serviço da graça, ela se abre para louvar, bendizer e glorificar o Senhor, Nosso Deus que nos visita com Seu amor.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.