Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Gn 3,9-15.20)

Leitura do Livro do Gênesis.

9O Senhor Deus chamou Adão, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim, e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”.

13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher “Eva”, porque ela é a mãe de todos os viventes.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 86)

— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— O Senhor ama a cidade que fundou no Monte santo; ama as portas de Sião mais que as casas de Jacó.

— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor. De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; Deus é sua segurança”.

— Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: “Foi ali que estes nasceram”. Por isso todos juntos a cantar se alegrarão; e, dançando, exclamarão: “Estão em ti as nossas fontes!”

Evangelho (Jo 19,25-34)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena.

26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.

28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”.

29Havia ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz.

32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus.

33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Estejamos sempre sob a proteção da Virgem Maria

 “‘Mulher, este é o teu filho’. Depois disse ao discípulo: ‘Esta é a tua mãe’” (João 19,26-27).

Ontem, celebramos o dia de Pentecostes, a grande festa da Igreja, a Igreja nascente, a Igreja que é guiada e conduzida à alma da Igreja: o Espírito Santo. E, hoje, temos a graça de celebrar Maria, a Mãe da Igreja.

Como é importante, porque a Igreja nasceu primeiro do lado aberto de Cristo Jesus na Cruz, porque do Seu lado aberto saiu sangue e água, os Sacramentos da Igreja, o alimento da Igreja. A Igreja se alimenta da Eucaristia, a Igreja se fortalece e se purifica na graça do batismo. Esses dois Sacramentos que saem do lado aberto de Cristo.

Mas lá na cruz, o próprio Cristo que nos deu os Sacramentos deu-nos a Mãe da Igreja, porque Ele, a cabeça da Igreja, tem em Maria a Sua Mãe. Ao seu lado estava o discípulo, e quando falamos o “discípulo”, o discípulo João representa cada um de nós, sejam os discípulos foragidos, sejam os discípulos que estavam ali em pé como ele, mas representa a Igreja que é mãe e tem seus filhos.

Uma vez amando a Igreja e sendo filhos da Igreja, amemos a Virgem Maria, sejamos filhos dela

Os filhos da Igreja não estão sozinhos, porque nós filhos temos uma mãe, essa mãe se chama: Virgem Maria. Ela mesma recebeu isso como missão: “Mulher, eis aí teu filho”. (João 19,26)

Naquela Igreja nascente, reunida em Pentecostes, reunida no Cenáculo, estavam todos reunidos com Maria, a Mãe de Jesus; estavam reunidos com Maria, que era o consolo, o amparo, que era a força. Como ela foi na vida do Seu Filho Jesus, ela é também na vida dos seguidores de Jesus, ela é a primeira seguidora de Jesus. Como primeira discípula e seguidora, o próprio Jesus a torna mãe da Sua Igreja.

Que beleza e que graça! Nós sempre correlacionamos a figura de Maria à figura da Igreja, e a Igreja à figura de Maria. A Igreja, como aquela que gera filhos para Deus, a Mãe Igreja; Maria, aquela que gerou o Filho de Deus para nós, mas é também Mãe de todos nós.

Amemos a Igreja, sejamos filhos da Mãe Igreja. E uma vez amando a Igreja e sendo filhos dela, amemos a Virgem Maria, sejamos filhos dela. Caminhemos nessa condução da graça, pois assim nunca nos perderemos, porque a Mãe é aquela que acalenta, que ensina e conduz Seus filhos sempre para o caminho da graça, ainda que, algumas vezes, se extraviem pelas estradas da vida.

Ó Mãe Santíssima, Mãe da Igreja, a ti confiamos, rogamos por toda Igreja e por todos nós, para que sejamos seus filhos e estejamos sempre sob a sua proteção. Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios