Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Dn 6,12-28)

Leitura da Profecia de Daniel.

Naqueles dias, 12aproximaram-se os chefes do reino e encontraram Daniel orando e fazendo preces a seu Deus. 13Foram ter com o rei e falaram a propósito do decreto: “Ó rei, acaso não assinaste um decreto segundo o qual toda pessoa que, nos próximos trinta dias, dissesse oração a qualquer divindade ou homem que não sejas tu, ó rei, seria atirada na cova dos leões?” O rei respondeu: “O que dizeis é verdade, como manda a lei dos medos e persas, e que não se pode violar”.

14Então eles disseram perante o rei: “Daniel, um dos cativos de Judá, não fez caso de ti, ó rei, nem do decreto que assinaste, mas três vezes por dia ele faz suas preces e orações”. 15Ao ouvir isto, o rei ficou muito desapontado e tomou a resolução de salvar Daniel, empenhando-se em libertá-lo antes do pôr do sol. 16Mas aqueles homens instaram com o rei e disseram: “Não te esqueças, ó rei, de que é lei dos medos e persas que não se pode mudar nenhum decreto que o rei tenha promulgado”.

17Então o rei deu ordem para buscar Daniel e lançá-lo na cova dos leões. E disse a ele: “O teu Deus, a quem prestas culto com perseverança, haverá de salvar-te”. 18Trouxeram uma pedra e puseram-na sobre a boca da cova, que o rei marcou com seu anel e os dos grandes da corte, para que nada se tentasse contra Daniel. 19O rei retirou-se para o palácio e foi dormir sem cear, e não quis que lhe trouxessem comida; além disso, não conseguiu conciliar o sono. 20Ao raiar do dia, levantou-se o rei e foi apressadamente à cova dos leões; 21aproximando-se da cova, chamou por Daniel com voz aflita, e disse: “Daniel, servo do Deus vivo, teu Deus, a quem prestas culto com perseverança, pôde salvar-te dos leões?” 22E Daniel respondeu ao rei: “Ó rei, vive para sempre! 23O meu Deus enviou seu anjo e fechou a boca dos leões; os leões não me fizeram mal, porque, na presença dele foi provada a minha inocência; tampouco pratiquei qualquer crime contra ti, ó rei”. 24Com isso, alegrou-se grandemente o rei; e mandou tirar Daniel da cova; quando o retiraram, nenhuma lesão mostrava ele, porque acreditara em seu Deus.

25O rei mandou vir os homens que acusaram Daniel e os fez lançar na cova dos leões, juntamente com seus filhos e suas mulheres; estes não tinham chegado ao fundo da cova, e já os leões caíam sobre eles, esmagando-lhes os ossos. 26Então o rei Dario escreveu a todos os povos, nações e línguas que habitavam a terra: “Que vossa paz se multiplique. 27Está decretado por mim que, em todo o território do meu império, todos respeitem e temam o Deus de Daniel: ele é o Deus vivo que permanece para sempre, seu reino não será destruído e seu poder durará eternamente; 28ele é o libertador e salvador, que opera sinais e maravilhas no céu e na terra. Foi ele quem salvou Daniel das garras dos leões!”

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Dn 3,68s.)

— Louvai-o e exaltai-o, pelos séculos sem fim!

— Louvai-o e exaltai-o, pelos séculos sem fim!

— Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!

— Geada e frio, bendizei o Senhor!

— Gelos e neves, bendizei o Senhor!

— Noites e dias, bendizei o Senhor!

— Luzes e trevas, bendizei o Senhor!

— Raios e nuvens, bendizei o Senhor!

— Ilhas e terra, bendizei o Senhor!

Evangelho (Lc 21,20-28)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 20“Quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, ficai sabendo que a sua destruição está próxima. 21Então, os que estiverem na Judeia, devem fugir para as montanhas; os que estiverem no meio da cidade, devem afastar-se; os que estiverem no campo, não entrem na cidade. 22Pois esses dias são de vingança, para que se cumpra tudo o que dizem as Escrituras.

23Infelizes das mulheres grávidas e daquelas que estiverem amamentando naqueles dias, pois haverá uma grande calamidade na terra e ira contra este povo. 24Serão mortos pela espada e levados presos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos infiéis, até que o tempo dos pagãos se complete. 25Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. 26Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. 27Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória. 28Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Estejamos atentos, pois a nossa libertação está próxima

 “Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima” (Lucas 21,28).

Quando nos aproximamos do tempo do Advento e dos últimos dias do Ano Litúrgico, a Liturgia nos remete aos acontecimentos finais da vida humana, para que tomemos consciência e ciência dos fatos que as coisas acontecem e acontecerão, vivendo em um mundo cercado de contrariedades, de tragédias, de hipóteses que, muitas vezes, nos assustam. Mas não podemos entregar à temeridade, não podemos entregar, achar que tudo é desastroso, e muito menos pregar os desastres.

Precisamos estar de cabeça erguida, porque é nossa libertação que se aproxima

Pelo contrário, estamos vendo tantas coisas acontecerem! E quando Jesus fala acontecimentos trágicos, que sobretudo sobrevive a Jerusalém na década de 70, quando a cidade foi tomada, sitiada, destruída e nada ficou de pé, uma narrativa continua nos mostrando que, ao longo da história, coisas parecidas continuarão a acontecer e estão acontecendo. Mas haverá sinais inclusivos no sol, na lua, nas estrelas. E isso não é para nos amedrontar, para nos assustar, preocupar ou aterrorizar, é para mantermos os olhos fixos em Jesus, é para permanecermos firmes na fé, é para permanecermos na serenidade, e não na temeridade, é para permanecermos na sobriedade; não agitados, temerosos, semeando o terror na vida dos outros.

Sei que há pessoas que gostam de falar e pregar a cultura do terror, do pânico e do pavor, mas não é para vivermos iludidos. Sei em quem coloquei a minha confiança, sei em quem depositei a minha fé, sei que esses sinais de coisas trágicas aconteceram, acontecem e acontecerão, mas sei que Deus tem todas as coisas em Suas mãos, e que, no fim de tudo, quando o fim de tudo chegar - e o fim será o fim -, o último capítulo da história da humanidade pertence a Deus, como também o primeiro capítulo. Mesmo nos capítulos mais desastrosos, quando os homens colocaram ou tentaram colocar Deus para fora, Ele se faz presente abençoando, cuidando e conduzindo os Seus, Ele está nos conduzindo em meio a todas as tragédias e desastres do mundo em que vivemos para o Reino que Ele preparou para os Seus.

Quando você achar que o mundo não tem mais jeito, não se preocupe, porque o Filho do Homem virá em Sua glória entre as nuvens, e aí é preciso estar de cabeça erguida, porque é nossa libertação que se aproxima. A nossa libertação está mais próxima quando nós ficamos próximos de Deus, mesmo quando as coisas temerosas acontecem.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.