Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (2Rs 25,1-12)

Leitura do Segundo Livro dos Reis.

1No nono ano do reinado de Sedecias, no dia dez do décimo mês, Nabucodonosor, rei da Babilônia, veio atacar Jerusalém com todo o seu exército. Puseram-lhe um cerco e construíram torres de assalto ao seu redor. 2A cidade ficou sitiada e rodeada de valas até o décimo primeiro ano do reinado de Sedecias. 3No dia nove do quarto mês, quando a fome se agravava na cidade e a população não tinha mais o que comer, 4abriram uma brecha na muralha da cidade. Então o rei fugiu de noite, com todos os guerreiros, pela porta entre os dois muros, perto do jardim real, se bem que os caldeus cercavam a cidade, e seguiram pela estrada que conduz a Arabá.

5Mas o exército dos caldeus perseguiu o rei e alcançou-o na planície de Jericó, enquanto todo o seu exército se dispersou e o abandonou. 6Os caldeus prenderam o rei e levaram-no a Rebla, à presença do rei da Babilônia, que pronunciou sentença contra ele. 7Matou os filhos de Sedecias, na sua presença, vazou-lhe os olhos e, preso com uma corrente de bronze, levou-o para Babilônia. 8No dia sete do quinto mês, data que corresponde ao ano dezenove do reinado de Nabucodonosor, rei da Babilônia, Nabuzardã, comandante da guarda e oficial do rei da Babilônia, fez a sua entrada em Jerusalém.

9Ele incendiou o templo do Senhor e o palácio do rei e entregou às chamas todas as casas e os edifícios de Jerusalém. 10Todo o exército dos caldeus, que acompanhava o comandante da guarda, destruiu as muralhas que rodeavam Jerusalém. 11Nabuzardã, comandante da guarda, exilou o resto da população que tinha ficado na cidade, os desertores que se tinham passado ao rei da Babilônia e o resto do povo. 12E, dos pobres do país, o comandante da guarda deixou uma parte, como vinhateiros e agricultores.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 136)

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, com saudades de Sião. Nos salgueiros por ali penduramos nossas harpas.

— Pois foi lá que os opressores nos pediram nossos cânticos; nossos guardas exigiam alegria na tristeza: “Cantai hoje para nós algum canto de Sião!”

— Como havemos de cantar os cantares do Senhor numa terra estrangeira? Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, que resseque a minha mão!

— Que se cole a minha língua e se prenda ao céu da boca, se de ti não me lembrar! Se não for Jerusalém minha grande alegria!

Evangelho (Mt 8,1-4)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

1Tendo Jesus descido do monte, numerosas multidões o seguiam. 2Eis que um leproso se aproximou e se ajoelhou diante dele, dizendo: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. 3Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica limpo”. No mesmo instante, o homem ficou curado da lepra. 4Então Jesus lhe disse: “Olha, não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote, e faze a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho para eles”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Aproxime-se de Jesus com humildade

 “Eis que um leproso se aproximou e se ajoelhou diante d’Ele, dizendo: ‘Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar’” (Mateus 8,2).

Que beleza quando olho para esse leproso se aproximando de Deus! Preciso dizer que, um leproso era marginalizado e colocado de lado por causa da sua lepra. Ele fedia, aquela carne era estragada, e as pessoas tinham a concepção de que ela era contagiosa, então, o leproso tinha de permanecer distante.

Na vida, as pessoas nos distanciam delas e do mundo ou nos distanciamos das pessoas do mundo, e assim por diante. A marginalização é um drama da sociedade em todos os tempos, pessoas são marginalizados (socialmente falando ou por diversas circunstâncias), mas nós também nos marginalizamos.

Quando o amado Papa Francisco diz que devemos ir às periferias existenciais da humanidade é porque muitas pessoas estão vivendo distantes daquilo que é o essencial no campo espiritual; e nós, muitas vezes, com nossas feridas e lepras, estamos também distantes de Deus e uns dos outros, ou estamos distanciando as pessoas, colocando-as longe de nós porque estamos centrados somente em nós.

O que precisamos? Precisamos da humildade desse leproso. Primeiro, a humildade de nos aproximarmos, de irmos, mesmo apesar das nossas lepras e pecados.

Quero chamar a atenção de um ponto que não podemos desconsiderar. À medida que cresce os pecados em nós, à medida que os pecados vão tomando conta de nós, é uma verdadeira lepra, a outra tem cura, mas essa não; só o perdão e a misericórdia de Deus são os que podem nos livrar dela.

Se você está distante, por favor, aproxime-se de Jesus com humildade e faça como esse leproso: ajoelhe-se

Os nossos pecados nos afastam ou nos aproximam de Deus. Alguns de nós, muitas vezes, decidimos viver no pecado e vamos nos distanciando, levando a vida daquele jeito e vamos indo para o que a gente quer, para onde o pecado vai nos puxando e nos encaminhando.

Se você está distante, por favor, aproxime-se de Jesus com humildade e faça como esse leproso: ajoelhe-se. Quantos de nós não se ajoelham mais nem para rezar em casa e nas igrejas… Quantos de nós não dobram mais os joelhos no chão, mas não é dobrar por dobrar, para se fazer de coitadinho, é dobrar por se humilhar, é dobrar para se prostrar, para suplicar, para reverenciar a Deus e dobrar as nossas vaidades, nosso orgulho e nossa soberba. É preciso dobrar-se ao chão com os joelhos prostrados!  

Quando faço isso, preciso pedir: “Senhor, se queres, pode me purificar”. “Purifica-me, Senhor”. “Purifica os meus maus pensamentos, maus sentimentos e más intenções”. “Purifica as minhas mágoas, meus rancores e pavores”. “Purifica-me, Senhor, dos meus medos, rancores, de tantas coisas que causam dessabores na minha vida interior porque deixei isso crescer em mim”.

Jesus quer que nos coloquemos na Sua presença, que nos aproximemos d’Ele, que dobremos os nossos joelhos e busquemos a renovação e a purificação de todo o nosso ser.

Deus abençoe você!  

Padre Roger Araújo  - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios