Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 6,8-10; 7,54-59)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

8Naqueles dias, Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga dos Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão. 10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava.

7,54Ao ouvir essas palavras, eles ficaram enfurecidos e rangeram os dentes contra Estêvão. 55Estêvão, cheio do Espírito Santo, olhou para o céu e viu a glória de Deus e Jesus, de pé, à direita de Deus. 56E disse: “Estou vendo o céu aberto, e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus”. 57Mas eles, dando grandes gritos e, tapando os ouvidos, avançaram todos juntos contra Estêvão; 58arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem, chamado Saulo. 59Enquanto o apedrejavam, Estêvão clamou dizendo: “Senhor Jesus, acolhe o meu espírito”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 30)

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

— Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; por vossa honra orientai-me e conduzi-me!

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel. Vosso amor me faz saltar de alegria, pois olhastes para as minhas aflições.

— Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor! Mostrai serena a vossa face ao vosso servo, e salvai-me pela vossa compaixão!

Evangelho (Mt 10,17-22)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: 17“Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. 18Vós sereis levados diante de governadores e reis, por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados como falar ou o que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. 21O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão. 22Vós sereis odiados por todos, por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Cristo nos trouxe vida nova

Quem não morre para o pecado não consegue contemplar os frutos da vida nova que Cristo trouxe até nós, com Seu nascimento

“Estêvão, cheio do Espírito Santo, olhou para o céu e viu a glória de Deus e Jesus, de pé, à direita de Deus” (At 7, 55).

No contexto do Natal de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, hoje, celebramos o primeiro mártir da fé. Aquele homem cheio da graça, do Espírito Santo, que deu sua vida por causa de Jesus.

Não foi Jesus quem veio dar a sua vida por nós? É verdade que, uma vez que Ele deu sua vida por nós, esta se apaixona por Ele, sente-se impregnada pelo Seu amor. Queremos viver em sintonia com este amor que Deus tem para conosco.

Vamos ver que, durante toda a história da Igreja, aparecem homens e mulheres violentamente cheios de paixões por Jesus e pela causa do Reino de Deus. Essa paixão deles é forte, esse amor é tão evidente, que levam a própria vida ao sacrifício por amor a Jesus Cristo.

Jesus não foi acolhido, não foi amado por todos; Jesus foi negado, não foi aceito. O Jesus que celebramos, hoje, o seu nascimento, é uma festa cristã, mas nem todos aqueles que se dizem cristãos acolhem, de fato, Jesus e Sua mensagem, acolhem o Seu Evangelho. Até creem n’Ele, veem que Ele é bom, mas não levam a vida em nome d’Ele.

Há ainda uma porcentagem grande na humanidade daqueles que não conhecem Jesus, que não creem n’Ele nem O aceitam como Senhor e Salvador.

Homens como Estêvão se fazem muito necessário nos dias de hoje! Estêvão morreu apedrejado, porque estava proclamando o nome de Jesus, estava levando a vida em nome d’Ele, e não negou o Seu nome. Diante de seus inquisidores, diante daqueles que o levaram ao tribunal, proclamou com mais firmeza o que era a sua fé.

Os padres da Igreja dizem que o sangue dos mártires são sementes de novos cristãos. A morte de Estêvão, na qual ele pôde contemplar a glória de Deus e Cristo de pé, à direita de Deus, foi uma morte bem-aventurada. Ele morreu entregando ao Pai a sua vida, mas a sua morte não ficou na morte; produziu muitos frutos, muitos cristãos fervorosos, ardorosos e apaixonados por Jesus Cristo.

Há mortes que, quando bem vividas, produzem vida. Eu lhe digo que, quando morremos para o pecado, permitimos que Deus nasça em nossa vida a cada dia, que produza uma vida melhor a cada um de nós.

Talvez você possa achar estranho celebrarmos o Natal e falarmos da morte, afinal de contas, todos nós estamos nos encaminhando para essa vida nova que Cristo nos trouxe de forma gloriosa no Céu. Por isso, nascer é também morrer, porque morrer para o pecado é nascer para Deus a cada dia.

Esse é o martírio que precisamos viver, para que essa vida nova que Cristo nos trouxe realmente brote em nós. E quem não morre para o pecado não consegue contemplar os frutos da vida nova que Cristo trouxe até nós, com Seu nascimento.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL