Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (At 6,8-15)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 8Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga de Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão. 10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. 11Então subornaram alguns indivíduos, que disseram: “Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus”. 12Desse modo, incitaram o povo, os anciãos e os doutores da Lei, que prenderam Estêvão e o conduziram ao Sinédrio.

13Aí apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não cessa de falar contra este lugar santo e contra a Lei. 14E nós o ouvimos afirmar que Jesus Nazareno ia destruir este lugar e ia mudar os costumes que Moisés nos transmitiu”.

15Todos os que estavam sentados no Sinédrio tinham os olhos fixos sobre Estêvão, e viram seu rosto como o rosto de um anjo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 118,23-30)

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

— Que os poderosos reunidos me condenem; o que me importa é o vosso julgamento! Minha alegria é a vossa Aliança, meus conselheiros são os vossos mandamentos.

— Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade! Fazei-me conhecer vossos caminhos, e então meditarei vossos prodígios!

— Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei como um presente! Escolhi seguir a trilha da verdade, diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

Evangelho (Jo 6,22-29)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João. 

— Glória a vós, Senhor.

Depois que Jesus saciara os cinco mil homens, seus discípulos o viram andando sobre o mar. 22No dia seguinte, a multidão que tinha ficado do outro lado do mar constatou que havia só uma barca e que Jesus não tinha subido para ela com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos.

23Entretanto, tinham chegado outras barcas de Tiberíades, perto do lugar onde tinham comido o pão depois de o Senhor ter dado graças. 24Quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum.

25Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” 26Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. 27Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”. 28Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Trabalhemos com ardor para alcançarmos a vida eterna

 “Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo” (João 6,27).

Precisamos trabalhar para ter o pão de cada dia, precisamos do nosso trabalho, e não podemos negar isso a ninguém, ainda que tenhamos que fazer esforços, como estamos fazendo. Todos nós, no mundo inteiro, temos de nos prevenir de um mal maior, mas do nosso jeito, obedecendo às leis civis, unindo-nos em torno de um ideal maior, cuidando da nossa saúde, até para que possamos trabalhar depois, porque sem saúde ninguém vai trabalhar, ninguém terá o seu sustento de cada dia.

Não tenhamos medo do que é preventivo. Aliás, o medo e a inquietação estão em nós, porque o nosso esforço é sempre pelo alimento material, pelo alimento que nos leva a perecer.

O pão do qual nos alimentamos – o arroz, o feijão, a nossa comida de cada dia – é para que o nosso físico se sustente. Não sejamos mundanos, não tenhamos aquela mentalidade mundana de achar que precisamos nos alimentar apenas do alimento cotidiano e ordinário.

Precisamos trabalhar com mais ardor pelo alimento que permanece até a vida eterna. O pão que comemos, aqui, leva-nos a perecer aqui mesmo, mas quando nos alimentamos da Palavra de Deus e de Jesus, quando alimentamos a nossa vida espiritual, estamos semeando a eternidade em nós.

Aquele que investe a sua vida em Deus permanece até a vida eterna

Os homens estão buscando fórmulas para que a vida aqui se multiplique, dure mais; e alguns querem ser até eternos aqui, mas não vão, porque a vida é perecível. Isso é do próprio organismo humano, que vai se decompondo, vai encontrando a sua contingência com o passar do tempo.

Podemos cuidar bem da nossa saúde, mas não podemos negar que pereceremos. Aquele que se alimenta do alimento eterno, que se alimenta para a eternidade nem se preocupa com essa vaidade da vida que vem e que vai, porque ele investe a sua vida na eternidade.

É óbvio que quem só olha a vida do ponto de vista material sofre e perece com mais facilidade, porque Aquele que nos deu a vida material também a leva de volta, mas aquele que investe a sua vida em Deus permanece até a vida eterna.

É em Jesus e na vida eterna que queremos investir a nossa vida e cuidar do nosso espírito. Façamos isso no tempo que temos e até no tempo que, muitas vezes, não temos. Não nos dediquemos somente para trabalhar e ter, porque chega um tempo que não vamos ter nada, e somente a vida em Deus será suficiente para permanecermos eternamente.

Deus abençoe você!  

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios