Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Zc 8,20-23)

Leitura da Profecia de Zacarias.

20Isto diz o Senhor dos exércitos: Virão ainda povos e habitantes de cidades grandes,21dizendo os habitantes de uma para os de outra cidade: ‘Vamos orar na presença do Senhor, vamos visitar o Senhor dos exércitos; eu irei também’. 22Virão muitos povos e nações fortes visitar o Senhor dos exércitos e orar na presença do Senhor. 23Isto diz o Senhor dos exércitos: Naqueles dias, dez homens de todas as línguas faladas entre as nações vão segurar pelas bordas da roupa um homem de Judá, dizendo: ‘Nós iremos convosco; porque ouvimos dizer que Deus está convosco’.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 86)

— Nós temos ouvido que Deus está convosco.

— Nós temos ouvido que Deus está convosco.

— O Senhor ama a cidade que fundou no Monte santo; ama as portas de Sião mais que as casas de Jacó. Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— “Lembro o Egito e Babilônia entre os meus veneradores. Na Filisteia ou em Tiro ou no país da Etiópia, este ou aquele ali nasceu”. De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; Deus é sua segurança”.

— Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: “Foi ali que estes nasceram”. E por isso todos juntos a cantar se alegrarão; e, dançando, exclamarão: “Estão em ti as nossas fontes!”

Evangelho (Lc 9,51-56)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, a fim de preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. 54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” 55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

É preciso repreender a fofoca de nossa vida

“Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: ‘Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?’ Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. E partiram para outro povoado” (Lucas 9,54-56).

Jesus está a caminho de Jerusalém, é na cidade de Jerusalém que Ele vai ser crucificado, morto e que vai subir para a glória do Céu. Então, na verdade, Jesus está a caminho do céu.

Para ir à Jerusalém, Ele enviou mensageiros para que preparassem o seu caminho, ou seja, Ele precisaria passar em vários lugares, descansar para prosseguir a viagem. Mas, quando chegou em um povoado de samaritanos, aquele grupo de samaritanos não quis acolher Jesus, porque Ele deixava a impressão de que estava indo para Jerusalém. Para os samaritanos, o centro era ali mesmo, na Samaria, era ali que Jesus devia ficar. Então, como havia uma oposição entre samaritanos e judeus, por questões históricas, culturais e religiosas… Enfim, Jesus não para nessas divisões humanas, mas os humanos param nas suas próprias divisões; os humanos, como nós, paramos nos preceitos e nos preconceitos que nós criamos.

Porque eles não quiseram acolher Jesus é que os discípulos perguntaram: “Senhor, quer que nós mandemos fogo do céu para destruir?”, não é um milagre que eles querem, eles querem se vingar. Eles querem do Senhor a autorização para se vingarem por não serem acolhidos.

Sua vida é uma má vida se você é cercado de pessoas incendiadas pelo fogo da fofoca

Sei que esse é o sentimento que cresce também em nós quando não somos aceitos, acolhidos, quando não somos compreendidos, quando somos rejeitados. Quando o sentimento do desprezo vem em nós, um fogo se ateia dentro de nós, o fogo da raiva, da vingança, o fogo de querer desejar o mal para o outro. Nem sempre falamos, mas quase sempre desejamos, porque o fogo se acende em nós; e é com esse fogo que queremos, muitas vezes, destruir reputações e pessoas. Esse fogo, muitas vezes, se acende, é o que nós chamamos de “o fogo da maledicência” ou o “fogo da fofoca”. Quando estamos fofocando, estamos semeando o fogo da destruição, estamos falando mal das pessoas, estamos querendo mal às pessoas, é óbvio que você fala mal de quem você não quer bem, de quem na sua cabeça tem sempre a suposição que lhe fez algum mal.

É verdade que existem pessoas tão más, tão tomadas por esse fogo do inferno, esse não é do céu, pois fala mal até de quem lhe fez bem. É duro quando esse fogo sai de você, esse fogo não é do espírito, não é de Deus, mas esse fogo é o fogo do inferno.

Toda e qualquer fofoca é diabólica, toda e qualquer situação onde estamos falando mal do irmão estamos acendendo as labaredas do inferno, porque estamos semeando, às vezes, uma faisquinha é suficiente para um fogo inteiro se acender, para uma floresta toda ser incendiada.

Você falou mal de uma pessoa aqui e não vai ficar nessa pessoa, isso vai se espalhar, vai crescer; e, geralmente, você, quando acende um “foguinho”, quando você joga uma pitada de cigarro, você não assume a responsabilidade por toda a floresta que se queimou: “Só falei uma coisinha”. Desculpe, mas a coisinha que você falou incendiou uma floresta toda, por isso, Jesus está repreendendo. E você precisa repreender todos os sentimentos de fofoca, de maledicência, de falar mal, de querer mal, seja nos pensamentos, nos sentimentos e nas palavras.

Repreenda isso em você, mas repreenda isso em quem está ao seu lado. Marido, repreenda sua mulher quando ela vier trazer fofoca para você; mulher, repreenda seu marido, repreenda seus filhos e repreenda, inclusive, suas amigas e seus amigos. Sua vida é uma má vida se você é cercado de pessoas incendiadas pelo fogo da fofoca.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.