Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Jo 1,5–2,2)

Leitura da Primeira Carta de São João.

5Caríssimos, a mensagem que ouvimos de Jesus Cristo e vos anunciamos é esta: Deus é luz e nele não há trevas. 6Se dissermos que estamos em comunhão com ele, mas andamos nas trevas, estamos mentindo e não nos guiamos pela verdade. 7Mas, se andamos na luz, como ele está na luz, então estamos em comunhão uns com os outros, e o sangue de seu Filho Jesus nos purifica de todo pecado.

8Se dissermos que não temos pecado estamo-nos enganando a nós mesmos, e a verdade não está dentro de nós. 9Se reconhecermos nossos pecados, então Deus se mostra fiel e justo, para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda culpa. 10Se dissermos que nunca pecamos, fazemos dele um mentiroso e sua palavra não está dentro de nós. 2,1Meus filhinhos, escrevo isto para que não pequeis. No entanto, se alguém pecar, temos junto do Pai um Defensor: Jesus Cristo, o Justo. 2Ele é a vítima de expiação pelos nossos pecados, e não só pelos nossos, mas também pelos pecados do mundo inteiro.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 123)

— Nossa alma como um pássaro escapou do laço que lhe armara o caçador.

— Nossa alma como um pássaro escapou do laço que lhe armara o caçador.

— Se o Senhor não estivesse ao nosso lado, quando os homens investiram contra nós, com certeza nos teriam devorado no furor de sua ira contra nós.

— Então as águas nos teriam submergido, a correnteza nos teria arrastado, e então, por sobre nós teriam passado essas águas sempre mais impetuosas.

— O laço arrebentou-se de repente, e assim nós conseguimos libertar-nos. O nosso auxílio está no nome do Senhor, do Senhor que fez o céu e fez a terra.

Evangelho (Mt 2,13-18)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.
13Depois que os magos partiram, o Anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise! Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. 14José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe, e partiu para o Egito. 15Ali ficou até a morte de Herodes, para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu Filho”. 16Quando Herodes percebeu que os magos o haviam enganado, ficou muito furioso. Mandou matar todos os meninos de Belém e de todo o território vizinho, de dois anos para baixo, exatamente conforme o tempo indicado pelos magos. 17Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias: 18“Ouviu-se um grito em Ramá, choro e grande lamento: é Raquel que chora seus filhos, e não quer ser consolada, porque eles não existem mais”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Busque promover a cultura da vida

 “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise! Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo ” (Mateus 2,13).

Na celebração do tempo de Natal, cabe hoje na nossa Liturgia, os Santos Inocentes, esses primeiros mártires que deram sua vida por amor a Jesus ainda pequenos, ainda não ventre de suas mães, ainda recém-nascidos. Herodes mandou matar todos os meninos de Belém e de todo o território vizinho, de dois anos para baixo, conforme o tempo que ele imaginava que Jesus podia ter, conforme lhe foi avisado pelos magos.

Então, essas crianças foram perseguidas porque Herodes queria matar Jesus. É claro, Herodes vê Jesus como um perigo, uma ameaça para ele; Herodes vê em Jesus um empecilho para o seu reino. É por isso que, em vez de se abrir para a graça, ele se propõe a perseguir Jesus e até matá-Lo.

Vivemos num mundo, numa sociedade homicida, onde as pessoas, de fato, matam quem se opõe ou quem representa qualquer ameaça para a sua vida. Como diferentes formas de homicídios que a nossa sociedade realiza: do aborto, às crianças inocentes que morrem, aos assassinatos e tantas tragédias que marcam a nossa sociedade; é uma oportunidade para refletirmos o valor da vida, porque Deus nos trouxe a vida e quer que tenhamos vida em excesso das fontes que a vida sofre. São tantas e, de todas as correções da vida temos que fugir, assim como José fugiu para o Egito para salvar e proteger esse menino.

Precisamos salvar o mundo em que estamos, a começar que, muitas vezes, não têm o direito a uma vida digna

Temos que fugir das correções da vida e temos que proteger a vida, mas a vida de todos, a vida das nossas crianças, seja no ventre da mãe, seja como crianças que nascem, estão ameaçadas pela fome, estão ameaçadas em muitos países pelas guerras , estão ameaçadas pela desnutrição, estão ameaçadas pela prostituição, onde as crianças cada vez mais cedo estão sendo submissas à essa barbaridade.

Não adianta apenas contemplarmos a beleza da vida que Deus nos trouxe, se não nos tornamos profetas da vida, se não vamos salvar a vida das crianças, dos jovens, dos adolescentes, dos idosos, de todos aqueles que os “Herodes” dos nossos tempos , muitas vezes, atos e atitudes querem matar.

O Senhor veio para nos trazer vida, e nós precisamos ser aqueles que salvam para salvar a vida humana. Precisamos colocar a nossa vida em favor da vida e jamais compartilhar da cultura de morte dos nossos tempos. Precisamos salvar o mundo em que estamos, a começar que, muitas vezes, não têm o direito a uma vida digna. Há ainda muitos que estão morrendo de fome, há muitos que ainda morrem sem ter o alimento digno de cada dia.

Promover a cultura da vida é favorecer a vida em todos os sentidos e opor-se a toda cultura de morte dos tempos vigentes.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.