Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Eclo 51,17-27)

Leitura do Livro do Eclesiástico.

17Quero dar-te graças e louvar-te, e bendirei o nome do Senhor. 18Na minha juventude, antes de andar errante, procurei abertamente a sabedoria em minhas orações; 19diante do santuário eu suplicava por ela, e até o fim vou procurá-la; ela floresceu, como a uva temporã. 20Meu coração nela pôs sua alegria; meu pé andou por um caminho reto, e desde a juventude segui suas pegadas. 21lnclinei um pouco o ouvido e a acolhi, 22e encontrei para mim abundante instrução, e por meio dela fiz grandes progressos: 23 por isso glorifico a quem me dá a sabedoria. 24Porque resolvi pô-la em prática, procurei o bem e não serei confundido. 25Minha alma aprendeu com ela a ser valente e na prática da Lei procurei ser cuidadoso. 26Levantei minhas mãos para o alto e me arrependi por tê-la ignorado. 27Para ela orientei a minha alma e na minha purificação a encontrei.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (SI 18,8-11)

— Os ensinos do Senhor são sempre retos, alegria ao coração.

— Os ensinos do Senhor são sempre retos, alegria ao coração.

— A lei do Senhor Deus é perfeita, conforto para a alma! O testemunho do Senhor é fiel, sabedoria dos humildes.

— Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante, para os olhos é uma luz.

— É puro o temor do Senhor, imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

— Mais desejáveis do que o ouro são eles, do que o ouro refinado. Suas palavras são mais doces que o mel, que o mel que sai dos favos.

Evangelho (Mc 11,27-33)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 27Jesus e os discípulos foram de novo a Jerusalém. Enquanto Jesus estava andando no Templo, os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os anciãos aproximaram-se dele e perguntaram: 28“Com que autoridade fazes essas coisas? Quem te deu autoridade para fazer isso?” 29Jesus respondeu: “Vou fazer-vos uma só pergunta. Se me responderdes, eu vos direi com que autoridade faço isso. 30O batismo de João vinha do céu ou dos homens? Respondei-me”. 31Eles discutiam entre si: “Se respondermos que vinha do céu, ele vai dizer: ‘Por que não acreditastes em João?’ 32Devemos então dizer que vinha dos homens?” Mas eles tinham medo da multidão, porque todos, de fato, tinham João na qualidade de profeta. 33Então eles responderam a Jesus: “Não sabemos”. E Jesus disse: “Pois eu também não vos digo com que autoridade faço essas coisas”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Submetamo-nos à autoridade de Jesus

 “Com que autoridade fazes essas coisas? Quem te deu autoridade para fazer isso?” (Marcos 11,28).

Jesus e Seus discípulos estão de novo em Jerusalém, e foi andando no templo que os sumos sacerdotes, os mestres da Lei, os anciãos, os grandes, os principais responsáveis pela religião judaica aproximaram-se de Jesus para questioná-Lo, para interrogá-Lo, para saber de onde vinha a autoridade d’Ele.

E que autoridade tinha Jesus? Autoridade sobre os espíritos impuros, sobre o maligno; a autoridade evangélica, a autoridade de curar, de abençoar e libertar. A autoridade do amor, do testemunho, a autoridade que faltava para muitos líderes religiosos, muitos deles corrompidos pelo amor ao dinheiro, pelos seus próprios interesses, muitos deles perdidos. E Jesus dava a graça de o povo se reencontrar com Deus pelo Seu poder e pela Sua autoridade. Os chefes tinham a autoridade do autoritarismo, mas a autoridade moral só quem nos dá é quem tem uma vida de testemunho, alguém que tem vivência, intimidade com Deus, que tem humildade para submeter-se a Ele.

Se quisermos conhecer a verdade, precisamos submetermo-nos à autoridade de Jesus, porque a autoridade d’Ele vem de Deus

Por isso estavam questionando de onde vinha a autoridade de Jesus. Ele, na Sua humildade e simplicidade, respondeu a pergunta deles com outra pergunta: “O batismo de João vinha dos homens ou do céu?”. O povo tinha grande amor e estima por João e pelos religiosos; e os chefes religiosos sabiam que não podiam responder de qualquer jeito ou dar qualquer resposta, porque se respondessem que vinha dos homens, seriam desacreditados, mais do que já eram pelo povo. Mas se respondessem que vinha de Deus, por que eles não seguiam? Já que era de Deus, por que não seguiam o que João orientou, formou e falou? Eles preferiram responder: “Não sabemos de onde vem”.

“Se vocês não sabem de onde vem a autoridade de João Batista, também não posso vos dizer de onde vem a minha autoridade. Porque, na verdade, se vocês querem me conhecer, procure a verdade” (cf. Marcos 11,33). A verdade não está na curiosidade ou na ironia com que eles queriam tratar a realidade.

Se quisermos conhecer a verdade, precisamos submetermo-nos à autoridade de Jesus, porque a autoridade d’Ele vem de Deus. A autoridade que Deus dá a Jesus é a mesma autoridade que Deus quer dar a nós também para que vivamos uma vida coerente, testemunhando o amor d’Ele que está em nós.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios