Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Gn 19,15-29)

Leitura do Livro do Gênesis.

Naqueles dias, 15os anjos insistiram com Ló, dizendo: “Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas, e sai, para não morreres também por causa das iniquidades da cidade”. 16Como ele hesitasse, os homens tomaram-no pela mão, a ele, à mulher e às duas filhas – pois o Senhor tivera compaixão dele –, fizeram-nos sair e deixaram-nos fora da cidade.

17Uma vez fora, disseram: “Trata de salvar a tua vida. Não olhes para trás, nem te detenhas em parte alguma desta região. Mas foge para a montanha, se não quiserdes morrer”.

18Ló respondeu: “Não, meu Senhor, eu te peço! 19O teu servo encontrou teu favor e foi grande a tua bondade, salvando-me a vida. Mas receio não poder salvar-me na montanha, antes que a calamidade me atinja e eu morra. 20Eis aí perto uma cidade onde poderei refugiar-me; é pequena, mas aí salvarei a minha vida”.

E ele lhe disse: 21“Pois bem, concedo-te também este favor: não destruirei a cidade de que falas. 22Refugia-te lá depressa, pois nada posso fazer enquanto não tiveres entrado na cidade”. Por isso foi dado àquela cidade o nome de Segor.

22O sol estava nascendo, quando Ló entrou em Segor. 24O Senhor fez então chover do céu enxofre e fogo sobre Sodoma e Gomorra. 25Destruiu as cidades e toda a região, todos os habitantes das cidades e até a vegetação do solo. 26Ora, a mulher de Ló olhou para trás e tornou-se uma estátua de sal.

27Abraão levantou-se bem cedo e foi até o lugar onde antes tinha estado com o Senhor. 28Olhando para Sodoma e Gomorra, e para toda a região, viu levantar-se da terra uma densa fumaça, como a fumaça de uma fornalha.

29Mas, ao destruir as cidades da região, Deus lembrou-se de Abraão e salvou Ló da catástrofe que arrasou as cidades onde Ló havia morado.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 25)

— Tenho sempre vosso amor ante meus olhos.

— Tenho sempre vosso amor ante meus olhos.

— Provai-me, ó Senhor, e examinai-me, sondai meu coração e o meu íntimo! Pois tenho sempre vosso amor ante meus olhos; vossa verdade escolhi por meu caminho.

— Não junteis a minha alma à dos malvados, nem minha vida à dos homens sanguinários; eles têm as suas mãos cheias de crime; sua direita está repleta de suborno.

— Eu, porém, vou caminhando na inocência; libertai-me, ó Senhor, tende piedade! Está firme o meu pé na estrada certa; ao Senhor eu bendirei nas assembleias.

Segunda lectura (II Timoteo 4:6-8, 17-18)

6 Porque yo estoy a punto de ser derramado en libación y el momento de mi partida es inminente. 7 He competido en la noble competición, he llegado a la meta en la carrera, he conservado la fe. 8 Y desde ahora me aguarda la corona de la justicia que aquel Día me entregará el Señor, el justo Juez; y no solamente a mí, sino también a todos los que hayan esperado con amor su Manifestación. 17 Pero el Señor me asistió y me dio fuerzas para que, por mi medio, se proclamara plenamente el mensaje y lo oyeran todos los gentiles. Y fui librado de la boca del león.
18 El Señor me librará de toda obra mala y me salvará guardándome para su Reino celestial. A él la gloria por los siglos de los siglos. Amén.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Evangelho (Mt 8,23-27)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 23Jesus entrou na barca, e seus discípulos o acompanharam. 24E eis que houve uma grande tempestade no mar, de modo que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia.

25Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: “Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!” 26Jesus respondeu: “Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé?” Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria. 27Os homens ficaram admirados e diziam: “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Deus traz a serenidade necessária ao nosso coração

 “Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: ‘Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!’” (Mateus 8,25).

Jesus estava na barca acompanhado dos Seus discípulos e, no meio daquele mar, houve uma grande tempestade. Você sabe que, com a tempestade, o barco começou a ser dominado. E onde estava Jesus quando as ondas cobriram o barco? Jesus dormia e os discípulos foram tomados pelo desespero, pelo medo, pelo pavor da própria vida deles perecer pelo pecado e Jesus dormindo.

Onde está Deus no meio de tudo que estamos vivendo e passando? Onde está Deus no meio das aflições e dos temores onde todos estamos enfrentando? Onde está Deus no meio da angústia de uma pandemia? Onde está Deus no meio das confusões sentimentais, em que a nossa mente, os nossos sentimentos estão todos confusos, as ondas agitadas estão tomando conta de nós… Deus está dormindo? Não! Deus está naquilo que Ele é. Deus é sereno e calmo, Deus é serenidade no sentido mais absoluto e pleno do que é ser sereno, pois onde as coisas se agitam, aí Deus não está. Onde o temor e o pavor geram terror, não é ali que Deus está.

Serenidade é ter responsabilidade com os próprios afetos e sentimentos para ter luz

Como não se apavorar? Como não se agitar? Aqui, o “se agitar” e o “se apavorar” é próprio do coração quando não se deixa confiar ou colocar em Deus a confiança. Por isso, nos tempos em que estamos vivendo, é preciso vencer esse veneno terrível que faz o nosso coração se afugentar de Deus.

É preciso vencer esses ventos agitadores que perturbam a alma e o coração. Estamos ficando doentes, estamos numa geração que descobriu todos os alcances da ciência, da modernidade, das descobertas científicas e tecnológicas, mas o coração adoece porque se torna mais agitado, cada vez mais ansioso e os nossos sentimentos e afetos estão adoecendo.

Aquilo que a ciência não pode nos dar, aquilo que as tecnologias não podem fazer por nós, é só Deus que nos dá: serenidade e paz.

Serenidade não quer dizer falta de responsabilidade e de cuidado; serenidade não significa que devemos levar a vida de qualquer jeito e Deus vai cuidar de nós. Serenidade é ter responsabilidade, cuidar do que é preciso cuidar, mas eu não cuido de nada na vida movido pelo medo e pelo desespero.

Serenidade é ter responsabilidade com os próprios afetos e sentimentos para ter luz, para lidar com as contrariedades da vida de cada dia.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios