Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Ts 4,13-18)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses.

13Irmãos, não queremos deixar-vos na incerteza a respeito dos mortos, para que não fiqueis tristes como os outros, que não têm esperança. 14Se Jesus morreu e ressuscitou — e esta é nossa fé —, de modo semelhante Deus trará de volta, com Cristo, os que através dele entraram no sono da morte. 15Isto vos declaramos, segundo a palavra do Senhor: nós que fomos deixados com vida para a vinda do Senhor não levaremos vantagem em relação aos que morreram. 16Pois o Senhor mesmo, quando for dada a ordem, à voz do arcanjo e ao som da trombeta, descerá do céu e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17Em seguida, nós que fomos deixados com vida seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor, nos ares. E assim estaremos sempre com o Senhor. 18Exortai-vos, pois, uns aos outros, com estas palavras.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 95)

— O Senhor vem julgar nossa terra.

— O Senhor vem julgar nossa terra.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

— Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses; porque um nada são os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

— O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem e exultem as florestas e as matas.

— Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça, e os povos julgará com lealdade.

Evangelho (Lc 4,16-30)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 16veio Jesus à cidade de Nazaré, onde se tinha criado. Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado, e levantou-se para fazer a leitura. 17Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, Jesus achou a passagem em que está escrito: 18“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos 19e para proclamar um ano da graça do Senhor”.

20Depois fechou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-se. Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele. 21Então começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”. 22Todos davam testemunho a seu respeito, admirados com as palavras cheias de encanto que saíam da sua boca. E diziam: “Não é este o filho de José?”

23Jesus, porém, disse: “Sem dúvida, vós me repetireis o provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo. Faze também aqui, em tua terra, tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum”. 24E acrescentou: “Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. 25De fato, eu vos digo: no tempo do profeta Elias, quando não choveu durante três anos e seis meses e houve grande fome em toda a região, havia muitas viúvas em Israel. 26No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva que vivia em Sarepta, na Sidônia.

27E no tempo do profeta Eliseu, havia muitos leprosos em Israel. Contudo, nenhum deles foi curado, mas sim Naamã, o Sírio”. 28Quando ouviram estas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. 29Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no até o alto do monte sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de lançá-lo no precipício. 30Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Acolhamos a correção que Deus faz ao nosso coração

“Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria” (Lucas 4,24).

Começamos a meditar, durante a semana, o Evangelho de Lucas, a partir do início da sua vida pública. Jesus volta, agora, a Nazaré, à cidade onde Ele tinha sido criado. Lá na sinagoga, Ele toma posse da palavra que o profeta Isaías havia profetizado a respeito d’Ele: “O Espírito do Senhor está sobre mim, o Senhor me consagrou com a unção para levar a Boa Nova aos pobres”. 

Jesus toma posse dessa unção, Ele já havia tomado no Seu batismo, mas agora Ele toma posse da Palavra, porque a Sua Palavra ungida cura, liberta e restaura.

Os seus conterrâneos de Nazaré já viram ou ouviram falar de tudo que Jesus realizara onde Ele morava, não está mais em Nazaré, Ele mora em Cafarnaum, na região da Galileia. E é por lá, em Cafarnaum, que o Reino de Deus está acontecendo, Ele está proclamando na sinagoga, está proclamando para o povo de Deus o Reino e as graças d’Ele acontecendo.

Mas essas graças não estão acontecendo em Nazaré, a Sua terra, onde Ele fora criado, porque eles estão vivendo a falta de acolhimento ao profeta da casa. Jesus mesmo dá os exemplos: no tempo do profeta Elias, com tudo o que houve, foi uma viúva de Sarepta, na região da Sidônia, que Elias se dirigiu. Não foi a nenhuma viúva de Israel, como também no tempo do profeta Eliseu havia muitos leprosos em Israel, mas não foi nenhum leproso que foi curado se não Naamã, o Sírio. Os judeus, seus conterrâneos em Nazaré, ficaram irritados, furiosos e bravos com o ensinamento de Jesus, aquela verdade os incomodou. Jesus não estava acusando, Ele estava demonstrando: “Vocês não estão acolhendo a Palavra”.

Somos esse povo, não gostamos de ser corrigidos e exortados quando nos é mostrado que não estamos no caminho

Você sabe que assim como os Seus que não acolheram a correção, nós também somos esse povo, não gostamos de ser corrigidos e exortados quando nos é mostrado que não estamos no caminho. É o filho que não aceita a correção do pai, o marido que não aceita a correção da mulher, é a mulher que não aceita a correção do marido, é um irmão que não aceita a correção do seu irmão, são os fiéis que não aceitam a correção do seu padre, é o padre que não aceita ser ouvido pelos seus fiéis, é o padre que não aceita ser corrigido pelo bispo. Enfim, somos nós que não acolhemos o profeta da nossa casa.

Estamos, muitas vezes, sendo como este povo de Nazaré, e ali Jesus não pode fazer milagre algum e, mais, dali foi expulso, quase jogaram Jesus morro abaixo. Ele saiu-se deles e foi seguir o seu caminho, seguir a sua missão.

Muitas vezes, perdemos a direção de Deus porque não O deixamos nos direcionar. Deus nos fala não pela boca dos de fora — pode até nos falar —, mas Ele fala primeiro com aqueles que estão conosco, aqueles que convivem conosco, e com eles precisamos aprender a ser corrigidos, com eles precisamos aprender a melhorar a nossa própria vida.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.