Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Rm 8,31b-39)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos, 31bse Deus é por nós, quem será contra nós? 32Deus, que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos daria tudo junto com ele? 33Quem acusará os escolhidos de Deus? Deus, que os declara justos? 34Quem condenará? Jesus Cristo, que morreu, mais ainda, que ressuscitou, e está, à direita de Deus, intercedendo por nós? 35Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada? 36Pois é assim que está escrito: “Por tua causa somos entregues à morte, o dia todo; fomos tidos como ovelhas destinadas ao matadouro”. 37Mas, em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou!

38Tenho certeza de que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os poderes celestiais, nem o presente nem o futuro, nem as forças cósmicas, 39nem a altura nem a profundeza, nem outra criatura qualquer serão capazes de nos separar do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 108)

— Salvai-me, Senhor, segundo a vossa bondade!

— Salvai-me, Senhor, segundo a vossa bondade!

— Agi a meu favor, ó Senhor Deus, por amor do vosso nome, libertai-me, pois, vossa lealdade é benfazeja! Necessitado e infeliz, eis o que sou, dentro de mim meu coração está ferido!

— Senhor, meu Deus, vinde ajudar-me e salvar-me, segundo vosso amor e compaixão. Para que nisso reconheçam vossa mão e saibam que sois vós que o fizestes!

— Celebrarei o meu Senhor em alta voz, em meio à multidão hei de louvá-lo. Pois ele defende o indigente e o salva daqueles que condenam sua alma.

Evangelho (Lc 13,31-35)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

31Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disseram a Jesus: “Tu deves ir embora daqui, porque Herodes quer te matar”. 32Jesus disse: “Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho. 33Entretanto, preciso caminhar hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém. 34Jerusalém, Jerusalém! Tu que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintinhos debaixo das asas, mas tu não quiseste! 35Eis que vossa casa ficará abandonada. Eu vos digo: não me vereis mais, até que chegue o tempo em que vós mesmos direis: Bendito aquele que vem em nome do Senhor”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Acolhamos o amor de Deus que nos é dado

 “Jesus disse: Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho” (Lucas 13,32). 

Veja que beleza, que maravilha é a graça e o Reino de Deus, porque a raposa é Herodes, e foram dizer a Jesus que Herodes queria matá-Lo. Jesus respondeu com muita clareza: “Diga a essa raposa que faço o meu trabalho. Eu continuo expulsando demônios, continuo fazendo curas, continuo realizando o Reino de Deus e o meu Reino continua até o terceiro dia”.

O terceiro dia é a Sua Ressurreição, quando o Seu Reino é plenificado. Ele chega de forma plena e esplendorosa até nós.

Jesus lamenta por Jerusalém, que mata os profetas, que apedreja aqueles que foram enviados, e dá o exemplo: “Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintinhos debaixo das asas, mas tu não quiseste!”. E assim como a galinha protege os seus pintinhos para que as raposas do mundo não os ataque, de fato, Jesus também quis proteger os Seus, quis cuidar deles e amá-los, mas eles não quiseram.

Quando não amamos Deus, não estamos debaixo da Sua proteção, e o Seu amor não está em nós

Jerusalém não quis acolher Jesus; a cidade santa, a cidade grande, a cidade de Jerusalém não acolheu o Divino Salvador. É por isso que ali Ele foi morto, entregue, julgado e condenado.

Não podemos fazer a mesma coisa, não podemos desprezar Jesus; precisamos, na verdade, nos esconder na proteção d’Ele, precisamos nos colocar debaixo dos Seus cuidados. Só não podemos fugir d’Ele, como também não podemos negá-Lo. O pecado de Jerusalém e do povo da sua época foi não ter amado Jesus.

Aquele que não ama, rejeita, não acolhe o amor que lhe é dado. O pecado dos nossos tempos, de nossas cidades, de nossos povos, inclusive de nossas igrejas, é não amar Jesus. Precisamos amá-Lo de todo o coração, com toda a intensidade, acolher a salvação que Ele veio nos trazer.

Pode ser que não rejeitemos, diretamente, Jesus, mas também não O amamos de todo o coração; e quando não O amamos, não estamos debaixo da Sua proteção, e o Seu amor não está em nós.

Em tudo aquilo que realizarmos, acima de tudo, meditemos, e que possamos refletir com sinceridade: Estou amando Jesus? Estou acolhendo o Senhor? Estou aceitando-O? Estou permitindo a Jesus ser tudo em mim, para que tudo que eu faça seja n’Ele, por Ele e para Ele.

Que Jesus seja o grande amor da nossa vida.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios