Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Bíblia Sagrada - Liturgia do dia 14/09/2016

Primeira Leitura (Nm 21,4b-9)
Leitura do Livro dos Números.

Naqueles dias, 4bos filhos de Israel partiram do monte Hor, pelo caminho que leva ao mar Vermelho, para contornarem o país de Edom. Durante a viagem o povo começou a impacientar-se, 5e pôs a falar contra Deus e contra Moisés, dizendo: “Por que nos fizestes sair do Egito para morrermos no deserto? Não há pão, falta água, e já estamos com nojo desse alimento miserável”. 6Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam; e morreu muita gente em Israel. 7O povo foi ter com Moisés e disse: “Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes”. Moisés intercedeu pelo povo, 8e o Senhor respondeu: “Faze uma serpente de bronze e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá”. 9Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus!

Responsório (Sl 77)

— Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!

— Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!

— Escuta, ó meu povo, a minha Lei, ouve atento as palavras que eu te digo; abrirei a minha boca em parábolas, os mistérios do passado lembrarei.

— Quando os feria, eles então o procuravam, convertiam-se correndo para ele; recordavam que o Senhor é sua rocha e que Deus, seu Redentor, é o Deus Altíssimo.

— Mas apenas o honravam com seus lábios e mentiam ao Senhor com suas línguas; seus corações enganadores eram falsos e, infiéis, eles rompiam a Aliança.

— Mas o Senhor, sempre benigno e compassivo, não os matava e perdoava seu pecado; quantas vezes dominou a sua ira e não deu largas à vazão de seu furor.

Evangelho (Jo 3,13-17)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 13“Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna.

16Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

O Crucificado nos liberta de toda maldição

O Crucificado nos eleva para o lugar mais alto que podemos ir: o Céu!

“Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna” (João 3,16).

No dia de hoje, temos a graça e a alegria de celebrar a Exaltação da Santa Cruz! É uma bênção e uma graça a exaltarmos!

A cruz era a coisa mais humilhante que podia existir para um ser humano na face da Terra. Era símbolo de maldição, da maior humilhação que uma pessoa poderia sofrer. Nela, estavam os maiores pecadores e criminosos, que recebiam como pena de morte a crucificação.

O Livro do Deuteronômio diz: “Maldito seja aquele que for pregado no madeiro”. Jesus, Nosso Senhor e Salvador, morreu na cruz. Ele é o inocente que morre pelos pecadores, o justo que morre pelos injustos, o bendito que morre para tirar toda a maldição da Terra.

Bendito seja o Santo Lenho da Cruz, que recebeu o corpo de Nosso Senhor Jesus! Bendito seja o Sangue de Jesus, derramado na cruz para a nossa salvação! Bendita seja a Santa Cruz, digna de receber o corpo de Nosso Senhor e Salvador!

Fazemos festa, porque aquilo que parecia derrota ou o fim de Jesus foi, na verdade, a Sua grande vitória. Ele foi obediente até a morte, e morte de cruz. Ainda repito aquilo que disse São Paulo: “Pregamos Cristo crucificado. Para alguns é escândalo, para outros é loucura; mas, para nós, Cristo crucificado é o poder de Deus” (cf. I Coríntios 1,23-24).

Temos de amar a Cruz, amar o Cristo pregado nela! É no Cristo crucificado que somos resgatados, salvos e libertos de toda a maldição, impureza e ação diabólica que ronda este mundo em que vivemos.

Se existe um lugar onde o demônio foi vencido, foi na cruz de Cristo. A cruz que carregamos no peito, que temos no nosso carro, em nossas igrejas, que está no cemitério, é o símbolo da nossa fé. A cruz que não pode faltar em nossas casas! Porém, não é cruz de decoração, de ornamentação, porque ela é feita para isso. A cruz é símbolo, no sentido mais sagrado da palavra, é um sacramental que representa, justamente, o poder sagrado do Cristo que nos liberta do poder da morte, do pecado e de toda a escravidão. A cruz é símbolo dos libertos, dos salvos e redimidos.

Quando passarmos por momentos difíceis, por grandes tribulações e tentações, quando a angústia falar muito alto em nossa alma, quando não soubermos que caminho tomar, quando acharmos que o nosso sofrimento é insuportável, quando acharmos que não temos mais o caminho a seguir, olhemos para o Cristo crucificado e não tiremos o olhar d’Ele. Jesus nos ensina a sermos humildes, a humilharmos, muitas vezes, a nossa carne, o nosso orgulho e a nossa soberba.

O Cristo crucificado nos coloca no lugar que devemos estar, na mais perfeita humildade.  Ele nos eleva para o lugar mais alto que podemos ir: o Céu!

Adoremos e glorifiquemos o Cristo pregado na cruz! Adoremos e glorifiquemos a cruz sagrada, porque ela é a nossa salvação!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL