Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Bíblia Sagrada - Liturgia do dia 03/10/2016

Primeira Leitura (Gl 1,6-12)

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas.

Irmãos, 6admiro-me de terdes abandonado tão depressa aquele que vos chamou, na graça de Cristo, e de terdes passado para um outro evangelho. 7Não que haja outro evangelho, mas algumas pessoas vos estão perturbando e querendo mudar o evangelho de Cristo. 8Pois bem, mesmo que nós ou um anjo vindo do céu vos pregasse um evangelho diferente daquele que vos pregamos, seja excomungado. 9Como já dissemos e agora repito: Se alguém vos pregar um evangelho diferente daquele que recebestes, seja excomungado.10Será que estou buscando a aprovação dos homens ou a aprovação de Deus? Ou estou procurando agradar aos homens? Se eu ainda estivesse preocupado em agradar aos homens, não seria servo de Cristo. 11Irmãos, asseguro-vos que o evangelho pregado por mim não é conforme critérios humanos. 12Com efeito, não o recebi nem aprendi de homem algum, mas por revelação de Jesus Cristo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 110)

— O Senhor se lembra sempre da Aliança.

— O Senhor se lembra sempre da Aliança.

— Eu agradeço a Deus de todo o coração junto com todos os seus justos reunidos! Que grandiosas são as obras do Senhor, elas merecem todo o amor e admiração!

— Suas obras são verdade e são justiça, seus preceitos, todos eles são estáveis, confirmados para sempre e pelos séculos, realizados na verdade e retidão.

— Enviou libertação para o seu povo, confirmou sua Aliança para sempre. Seu nome é santo e é digno de respeito. Permaneça eternamente o seu louvor.

Evangelho (Lc 10,25-37)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor. 

Naquele tempo, 25um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” 26Jesus lhe disse: “Que está escrito na Lei? Como lês?” 27Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e a teu próximo como a ti mesmo!” 28Jesus lhe disse: “Tu respondeste certamente. Faze isso e viverás”. 29Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora deixando-o quase morto. 31 Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. 32O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.33Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. 34Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem no seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. 35No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: “Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais”. E Jesus perguntou: 36“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” 37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Cuidemos das feridas do nosso próximo

Há muitas pessoas feridas e machucadas, há muitas pessoas dentro de nossas casas que precisam de nossa proteção

“Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão” (Lucas 10, 31). 

Nesse ano riquíssimo que estamos celebrando e vivenciando o Ano da Misericórdia, a parábola do bom samaritano é para nós um reflexo de como o cristão deve agir neste mundo em relação ao seu próximo.

Dizemos assim: “Temos de amar o nosso próximo!”, mas como nós o amamos? Amor tem de ser concreto, tem de ser atitude. Amor não é somente virtude ou sentimento da alma. Amor é ação.

O Evangelho de hoje apresenta-nos três figuras. A primeira delas é um sacerdote que estava descendo pelo caminho e viu um homem caído, porque foi assaltado quando estava a caminho de Jericó e levaram tudo dele, deixaram-no simplesmente jogado e prostrado no chão. Quando o sacerdote da lei judaica passou, ele estava muito apressado, tinha muitos compromissos; passou e deixou aquele homem jogado no chão. Do mesmo modo, passou também um levita (aquele que entende das leis, da interpretação das Leis de Deus). O levita pode entender tudo da Lei de Deus, mas da caridade não entende nada. O levita chegou naquele lugar e viu o homem naquela situação de prostração e seguiu adiante. O samaritano não se dá bem com os judeus, mas foi ele quem viu aquele homem prostrado e foi movido de compaixão.

Compaixão não é pena nem dó, compaixão é sentir amor, paixão, sentir o que o outro está sentindo. Compaixão é colocar-se no lugar do outro, é ter um coração como o de Deus. Como é o coração de Deus? Cheio de misericórdia!

Aquele homem não parou para dizer: “Ele é um judeu! Mereceu esse castigo! Vai pagar pelo que fez!”. Pelo contrário, ele viu as feridas, o sofrimento daquele homem, pegou-o pelo braço, levou para a hospedaria mais próxima e fez questão de cuidar de todas as suas feridas. E ainda pediu à hospedaria que cuidasse daquele homem até que ele se recuperasse e que gastasse o que fosse preciso, porque o que se gastasse a mais, ele pagaria na sua volta.

Sabe, meus irmãos, tudo o que fizermos pelo nosso próximo, tudo o que fizermos um pelo outro, o bom samaritano Jesus, na Sua volta definida, pagará.

Nosso dever é cuidar das feridas uns dos outros, é cuidar dos machucados que estão, primeiro, dentro de casa, porque não adianta olharmos primeiro os machucados da rua. Há muitas pessoas feridas e machucadas, há muitas pessoas dentro de nossas casas que precisam de nossa proteção. Depois, o mundo que está ao nosso redor, que por onde passamos encontramos as feridas expostas. Não é para menosprezarmos, ignorarmos, sermos indiferentes, quanto menos dizer: “Esse problema não é meu!”.

Onde houver uma alma ferida, um coração machucado, onde houver um filho de Deus prostrado, uma pessoa que foi roubada, assaltada por este mundo, ali deve estar o coração do seguidor de Cristo, movido pela compaixão, cheio de misericórdia para com o coração humano. Se Deus é eterna misericórdia e compaixão por nós, também precisamos ser cheios de misericórdia e compaixão para com os sofrimentos da humanidade.

Como comecei, quero terminar: misericórdia e compaixão não são apenas sentimentos da alma. Misericórdia e compaixão são atos e atitudes!

Há muitos irmãos nossos jogados e prostrados nas estradas da vida; em nossas casas e famílias, precisando de atitudes de misericórdia. Que nos gastemos e desgastemos para cuidar deles! Só assim as nossas obras de misericórdia não serão blá blá blá, mas atos concretos de vida.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL