Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Bíblia Sagrada - Liturgia do dia 20/10/2016

Primeira Leitura (Ef 3,14-21)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 14eu dobro os joelhos diante do Pai, 15de quem toda e qualquer família recebe o seu nome, no céu e sobre a terra. 16Que ele vos conceda, segundo a riqueza de sua glória, serdes robustecidos, por seu Espírito, quanto ao homem interior, 17que ele faça habitar, pela fé, Cristo em vossos corações, que estejais enraizados e fundados no amor. 18Tereis assim a capacidade de compreender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura, a profundidade, 19e de conhecer o amor de Cristo, que ultrapassa todo o conhecimento, a fim de que sejais cumulados até receber toda a plenitude de Deus. 20Àquele que tudo pode realizar superabundantemente, e muito mais do que nós pedimos ou concebemos, e cujo poder atua em nós,21a ele glória, na Igreja e em Jesus Cristo, por todas as gerações, para sempre. Amém.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 32)

— Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

— Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

— Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Aos retos fica bem glorificá-lo. Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o!

— Pois é reta a palavra do Senhor, e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.

— Mas os desígnios do Senhor são para sempre, e os pensamentos que ele traz no coração, de geração em geração, vão perdurar. Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança!

— Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.

Evangelho (Lc 12,49-53)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 49“Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! 50Devo receber um batismo, e como estou ansioso até que isto se cumpra!

51Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão. 52Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três;53ficarão divididos: o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Deixemos que o fogo do Céu incendeie nossa alma

Deixemos que o fogo do Céu incendeie dentro de nós amor, paixão por Deus, pelas Suas coisas, pelo serviço ao próximo

“Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso!” (Lucas 12, 49). 

Jesus veio para lançar muito fogo no meio de nós, e como precisamos desse fogo do Alto, fogo do Céu e do Espírito!

O fogo tem a função de queimar aquilo que não tem utilidade, mas ele também tem a missão de incendiar, de levantar o ânimo que há dentro de nós que, muitas vezes, está apagado pelas circunstâncias da vida. O fogo da caridade, do amor e das boas obras; o fogo da motivação de viver, do gosto de evangelizar, de servir e estar à disposição do outro.

Irmãos, como precisamos desse fogo interior incendiando nossa alma e nosso coração!

Não pense que o fogo do Céu é aquele fogo de palha, aquele “foguinho” que quando acende até chama atenção, mas quando assopra, ele se apaga.

O fogo de Jesus é o fogo do Espírito, é o fogo consistente e persistente, que nos inunda e incendeia a nossa alma, para que ela tenha vigor, para que nossa alma tenha gosto por Deus e pelas Suas coisas.

Um fogo não cuidado, não cultivado, vamos deixando com que os ventos desse mundo vá soprando, e esse fogo vai diminuindo e pode se apagar e virar um foguinho que não se vê e nem se sente.

É preciso deixar que a labareda do céu possa tomar conta do nosso coração. Não é nada de coisas frenéticas, daqueles entusiasmos momentâneos. Estamos falando do fogo da alma que tem gosto por fazer as coisas. Primeiro o gosto pelas coisas de Deus, pois quando somos incendiados por esse fogo do Espírito temos gosto em ler a Palavra de Deus, temos gosto pela Eucaristia, temos gosto de estar com Deus, mesmo que estejamos cansados. Aqui são duas coisas distintas, porque o cansaço é o cansaço físico e espiritual.

O fogo que vem do Céu é, justamente, para queimar esse cansaço, esse desânimo que, muitas vezes, toma conta do nosso coração.

O fogo que vem do Céu, cria em nós o gosto de servir, de amar, mesmo que passemos por circunstâncias diversas. Mesmo que nos decepcionemos em muitas situações, mesmo que as coisas não dêem certo como queríamos. O fogo levanta, cria, recria, refaz as coisas e por isso o Senhor veio lançar esse fogo.

“Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão” (Lucas 12, 51). A divisão que Jesus veio trazer com este fogo é, justamente, para queimar aquilo que não nos deixa viver a vontade de Deus, é para dividir o que em nós é mundano, é lixo, está velho e estragado, para ficarmos com o que é bom.

Deixemos que o fogo do Céu queime em nós aquilo não serve, e que ele incendeie dentro de nós amor, paixão por Deus, pelas Suas coisas, pelo serviço ao próximo; amor pela família, pela missão. Amor, inclusive, pelo que fazemos, porque aquilo que não fazemos com amor, torna-se muito cansativo, pesaroso, desgastante e tira a nossa paz interior.

Deixe que Deus te incendeie, para que no seu trabalho, na missão que lhe é confiada, você tenha muito ardor para realizar o que é preciso!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios