Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Processo de beatificação da Serva de Deus Madre Vitória da Encarnação foi oficialmente instalado na arquidiocese de Salvador

Mais uma religiosa brasileira pode chegar à honra dos altares. A Serva de Deus Madre Vitória da Encarnação, nascida em Salvador (BA), teve seu processo de beatificação e canonização oficialmente instalado no último dia 19 de novembro, na arquidiocese de Salvador. A sessão solene foi realizada no Convento Santa Clara do Desterro, reunindo inúmeros fiéis.

O arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, escreveu carta ao Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, pedindo a abertura do processo e recebeu uma resposta três meses depois, o que é considerado um tempo recorde. Segundo o postulador da Causa dos Santos, frei Jociel Gomes da Silva, OFMCap, a congregação leva de seis meses a um ano para dar um retorno.

Com a abertura do processo, começa agora a fase de examinar a vida, obras e tudo o que for relacionado à religiosa, explicou Dom Murilo.

“É um processo, normalmente, longo, ainda mais no caso de Madre Vitória, que não se tem muitos elementos históricos. Temos um documento importantíssimo que é a biografia dela, escrita por um homem muito bem preparado, Dom Sebastião da Vide. Ele escreveu este livro e o publicou cinco anos após a morte, mostrando que estávamos diante de uma pessoa extraordinária”, afirmou Dom Murilo.

Os estudos serão feitos tanto no Brasil quanto em Portugal, local de origem das religiosas que vieram para o Brasil, e também em Roma. “Onde houver a notícia de que podem haver documentos relativos à Madre Vitória da Encarnação, nós vamos pegar para que o processo seja o mais completo possível”, afirmou Dom Murilo.

O arcebispo mencionou também o apoio das Irmãs Clarissas, que pediram para assumir a responsabilidade deste processo. “Eu achei mais do que justo, mesmo porque são 21 mosteiros no Brasil que vão divulgar a vida e as obras da Madre Vitória da Encarnação, tornando-a mais conhecida”, esclareceu.

No processo de beatificação, fazem parte da Comissão Histórica os professores George Everton Sales Souza, presidente; frei Marcos Antônio de Almeida, vice-presidente; Lígia Evelyn, frei Ulisses Pinto Sobrinho e Thiago Felipe Lima da Matta.

Para o Tribunal da Causa, foram nomeados padre Edézio de Jesus Ribeiro (juiz-delegado), monsenhor Walter Jorge Pinto Andrade (promotor de justiça), padre Erivaldo Santana Crispim (notário) e professor Daniel Santos Oliveira (notário adjunto).

(Canção Nova)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios