Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.


Filhos e filhas,

No próximo dia 19, dia de São José, celebraremos propriamente esse santo tão querido da Igreja. Especialmente neste ano, que é dedicado a ele. José foi escolhido por Deus para ser o marido de Maria e o pai adotivo de Jesus. Por isso, ele também é invocado como protetor das famílias.

E filhos e filhas, como a família precisa de proteção. A sociedade de hoje dá pouco valor à família. É difícil ser um verdadeiro pai e mãe num mundo de tantos contra valores, em que o amor acaba sendo medido pelos bens materiais.

A imagem de família é mostrada de forma distorcida, os valores éticos e morais que os pais devem passar aos filhos também. O grande problema é que não percebemos, porque tudo ocorre de forma velada. De imediato, não conseguimos ter uma ideia concreta sobre esta influência, ela vai acontecendo em doses homeopáticas, um pouquinho a cada dia. É em longo prazo, mas o efeito fica. Quando a gente desperta, o estrago está feito e é difícil de reverter.

E aquilo que foi semeado lentamente, acaba sendo absorvido e aceito como normal. Mas é como eu sempre digo, tem coisas que estão se tornando comuns, mas não são normais.

Infelizmente, muitas vezes a mídia está ocupando o espaço dos educadores, pais e evangelizadores.

A família é chamada por Deus a ser testemunha do amor e fraternidade, colaboradora da obra da Criação. Seu papel é fundamental na formação dos filhos, já que aos pais é dada a responsabilidade de formar pessoas conscientes e cristãs. Eles são representantes legítimos de Deus perante os filhos que devem ser conduzidos nos valores do Evangelho.

Jesus fala de edificar a casa na rocha firme (cf. Mt 7,24-27) e a casa edificada na rocha é uma família que pratica a Palavra, é temente a Deus. Como lemos em Josué, eu e minha casa serviremos ao Senhor, está dizendo que praticaremos a vontade de Deus. Seremos tementes a Deus. O alicerce de nossa casa é a rocha e a única rocha é Jesus Cristo.

Muitas vezes, permitimos que os fundamentos de nossa família comecem a ruir quando guardamos mágoas, dissabores, segredos, quando deixamos de rezar ou quando não percebemos que os corações estão se distanciando.

Mas é possível novamente fundamentar na rocha quando se volta a Deus. Voltar a Deus é reedificar os alicerces da família. “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24,15) deveria ser o lema das famílias.

Em sua homilia do Encontro das Famílias, o Papa Francisco assim falou: “O verdadeiro vínculo é sempre com o Senhor. Todas as famílias têm necessidade de Deus: todas, todas! Necessidade da Sua ajuda, da Sua força, da Sua bênção, da Sua misericórdia, do Seu perdão. E requer simplicidade. Para rezar em família requer simplicidade! Quando a família reza unida, o vínculo torna-se mais forte”.

Vale a pena investir na família, pois ela traz alegria e realização a todos nós.

Finalizo esta mensagem pedindo por todos os casais e por todas as famílias e, principalmente, que São José providencie o fim desta Pandemia que traz tanto sofrimento.

Deus abençoe,

Padre Reginaldo Manzotti

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.