Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Filhos e filhas,

Celebramos a Natividade de São João Batista nesta quinta-feira, dia 24. Tratei sobre esse assunto no meu artigo semanal do portal Aleteia e se você ainda não leu, convido a fazê-lo. Por isso, aqui gostaria de tratar de duas virtudes que o próprio Jesus nos recomenda a aprender: mansidão e humildade.

 “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu os aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11,28-30).

Se o Coração de Jesus é manso e humilde, o nosso também deve ser. Esforcemo-nos para aprender e viver a mansidão e a humildade do Coração de Jesus Cristo. Essa humildade que é uma virtude moral. Podemos nascer com ela, mas ela pode ser trabalhada, buscada e aperfeiçoada.

Segundo Santa Teresa D’Avila, ser humilde é andar com a verdade. Deus é a verdade, então humildade é a busca da verdade, é andar na presença de Deus. Essa virtude nos coloca a serviço, numa atitude de alegria, e, não em busca de honras, mas também não nos deixa afetar pelas desonras. Se não buscamos a humilde, nos tornamos soberbos, deixando nossa alma mesquinha, apegada a coisas pequenas e nos julgando autossuficientes, além de considerar tudo como mérito próprio e negar que somos necessitados de Deus.

O primeiro princípio para exercitar a humildade é olhar para nossos valores e atribuí-los à graça de Deus. O segundo é nos colocar diante de Deus, numa atitude de filho, de criança confiante. O terceiro é despertar em nós a mansidão, porque a humildade vem com a mansidão, e a mansidão estimula a humildade. Estas virtudes estão sempre acompanhadas uma da outra. Se trabalhamos a mansidão, a humildade aparece.

A mansidão age na vontade, na sensibilidade e se exterioriza nas palavras, gestos e maneira de ser. A virtude da mansidão não caminha sozinha, ela vem com a paciência, com a fortaleza e principalmente com a caridade. O exercício da mansidão nos cala na hora da ira, mantém nossa alma serena e com brandura, mas não significa aceitar um erro fechando os olhos para o que está errado.

A mansidão e humildade nos levam a Deus. A mansidão e paciência nos levam ao próximo. A mansidão nos leva a fé, a doçura, a gentileza e a afabilidade. A mansidão e a humildade passam pelos nossos relacionamentos com o próximo e devem ser usadas em relação às nossas próprias fraquezas, ao conhecimento de nossas fragilidades e nos levar a agir com misericórdia.

Na semana das 24 Horas em Oração na Presença do Senhor, ainda com restrição de público, peçamos essas duas virtudes, rezando: Jesus Manso e humilde de coração fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Deus abençoe,

Padre Reginaldo Manzotti

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios