Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Filhos e filhas,

Celebramos a Natividade de São João Batista nesta quinta-feira, dia 24. Tratei sobre esse assunto no meu artigo semanal do portal Aleteia e se você ainda não leu, convido a fazê-lo. Por isso, aqui gostaria de tratar de duas virtudes que o próprio Jesus nos recomenda a aprender: mansidão e humildade.

 “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu os aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11,28-30).

Se o Coração de Jesus é manso e humilde, o nosso também deve ser. Esforcemo-nos para aprender e viver a mansidão e a humildade do Coração de Jesus Cristo. Essa humildade que é uma virtude moral. Podemos nascer com ela, mas ela pode ser trabalhada, buscada e aperfeiçoada.

Segundo Santa Teresa D’Avila, ser humilde é andar com a verdade. Deus é a verdade, então humildade é a busca da verdade, é andar na presença de Deus. Essa virtude nos coloca a serviço, numa atitude de alegria, e, não em busca de honras, mas também não nos deixa afetar pelas desonras. Se não buscamos a humilde, nos tornamos soberbos, deixando nossa alma mesquinha, apegada a coisas pequenas e nos julgando autossuficientes, além de considerar tudo como mérito próprio e negar que somos necessitados de Deus.

O primeiro princípio para exercitar a humildade é olhar para nossos valores e atribuí-los à graça de Deus. O segundo é nos colocar diante de Deus, numa atitude de filho, de criança confiante. O terceiro é despertar em nós a mansidão, porque a humildade vem com a mansidão, e a mansidão estimula a humildade. Estas virtudes estão sempre acompanhadas uma da outra. Se trabalhamos a mansidão, a humildade aparece.

A mansidão age na vontade, na sensibilidade e se exterioriza nas palavras, gestos e maneira de ser. A virtude da mansidão não caminha sozinha, ela vem com a paciência, com a fortaleza e principalmente com a caridade. O exercício da mansidão nos cala na hora da ira, mantém nossa alma serena e com brandura, mas não significa aceitar um erro fechando os olhos para o que está errado.

A mansidão e humildade nos levam a Deus. A mansidão e paciência nos levam ao próximo. A mansidão nos leva a fé, a doçura, a gentileza e a afabilidade. A mansidão e a humildade passam pelos nossos relacionamentos com o próximo e devem ser usadas em relação às nossas próprias fraquezas, ao conhecimento de nossas fragilidades e nos levar a agir com misericórdia.

Na semana das 24 Horas em Oração na Presença do Senhor, ainda com restrição de público, peçamos essas duas virtudes, rezando: Jesus Manso e humilde de coração fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Deus abençoe,

Padre Reginaldo Manzotti

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.