Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Filhos e filhas,

Neste dia 03 de fevereiro celebramos São Brás, protetor dos males da garganta. Principalmente nesta época de Pandemia, peçamos a intercessão desse grande santo por todos aqueles que tiveram de ser entubados em decorrência da COVID-19, como me foi sugerido nos comentários nas redes sociais.

Aproveito esta celebração litúrgica para explicar sobre a intercessão, um dos carismas da Obra Evangelizar e uma grande fonte de graças e bênçãos, pois como disse São Tomás de Aquino: “Pela oração de muitos, às vezes, se alcança o que pela oração de um só não se obteria”.

Interceder é pedir algo em favor de uma outra pessoa. É colocar-se entre Deus e alguém rogando pela sua causa e necessidade, como São Tiago nos exorta a fazer: “orai uns pelos outros para serdes curados. A oração do justo tem grande eficácia” (Tg 5,16). Na intercessão, aquele que reza “não procura seus próprios interesses, mas sobretudo dos outros” (cf. Fl 2, 4), e reza mesmo por aqueles que lhe fazem mal (CIC 2635).

A intercessão é uma oração de pedido que nos conforma de perto com a oração de Jesus. Ele é o único Intercessor junto do Pai em favor de todos os homens, dos pecadores, sobretudo (CIC 2634).

Jesus Cristo se coloca entre Deus e os homens, como intercessor. No plano da salvação, Cristo se consagra em favor da humanidade. Então, entre Deus e a humanidade, ali bem no meio, está um intercessor que é Jesus.

A Carta aos Hebreus fala de Jesus depois da sua morte, ressurreição e ascensão: “Este, porque vive para sempre, possui um sacerdócio eterno.  É por isso que lhe é possível levar a termo a salvação daqueles que por ele vão a Deus, porque vive sempre para interceder em seu favor” (Hb 7, 24-25).

São Paulo também o exorta como único intercessor, dizendo: “Quem os condenará? Cristo Jesus, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à mão direita de Deus, é quem intercede por nós! (Rm 8, 34)

Os Evangelhos apresentam mais exemplos de suplicas de intercessão dirigidas a Jesus, como nas Bodas de Cana (2, 1-11); Jairo intercedendo pela família (Mc 5, 22-23); O oficial do Rei que suplica pelo filho (Jo 4, 47-53) e O Centurião intercedendo pelo seu servo (Mt 8, 5-6). Também podemos considerar como um ato de intercessão o gesto dos quatro homens que trouxeram o paralítico e desceram seu leito pelo telhado, fazendo-o chegar a Jesus (Mc 2, 3-4).

Por fim lembro que a intercessão é algo que nunca deve falhar, tanto que a melhor definição de Intercessão que eu já ouvi na vida é: “Intercessão é carregar o outro, de joelhos dobrados”.

Deus abençoe,

Padre Reginaldo Manzotti

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.