Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Uma jovem, ao buscar lenha para aquecer sua casa, foi surpreendida por um barulho e, ao olhar para o alto, numa gruta viu uma mulher vestida de branco, com uma faixa azul à cintura, uma rosa de ouro aos pés e um rosário nas mãos. Aquela senhora perguntou se Bernadete queria voltar àquele local durante quinze dias.

Durante aqueles dias aquela senhora pedia à menina para que conversasse com os sacerdotes para construir ali uma capela. Conta-se a história que o sacerdote resistiu até o dia em que pediu para jovem perguntar à senhora, qual era seu nome. Surpreendentemente, ela veio trazer o seu nome: “Sou a Imaculada Conceição”. Como Bernadete poderia saber? Foi realmente uma revelação do Alto, e assim, a capela, hoje um Santuário, foi construída.

Que tal darmos alguns passos como Bernadete? Aquela jovem buscava lenha para aquecer a si e sua família, em seu ofício algo diferente aconteceu e ela olhou para o alto. Vamos, como aquela jovem, realizar bem nosso trabalho e olhar para o alto, tentar sempre enxergar além!

Realizemos nosso trabalho com honestidade, disposição e atenção, mas sempre sensíveis e olhando para o Alto, para o que Deus tem a nos falar, o que quer para nós; que Deus nos surpreenda em nosso caminho e sejamos dóceis a ele.

Bernadete foi dócil ao pedido daquela senhora, foi conversar com o sacerdote, expressou o pedido daquela mulher. Sejamos dóceis ao pedido de Maria “Fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2,5).

Maria pediu que construísse uma capela, que é um lugar de oração, de encontro com Deus, de escuta da Palavra. Qual é a capela que você precisa construir? Quando vamos à capela/igreja somos chamados a ser extensão das graças que ali recebemos; ao sairmos de um momento de oração, somos chamados a cultivar a fé, a construir ou reconstruir a prática da Palavra ouvida e rezada. Que capela Nossa Senhora me pede para construir hoje? A capela da fé, a capela do amor, da reconciliação? Eu e você precisamos ser uma capela ambulante que distribui as graças de Deus!

Por fim, Bernadete “convenceu” o sacerdote devido ao nome da senhora que foi revelado: “Sou a Imaculada Conceição”. A Mãe de Jesus não teve mácula, pecado, a Igreja sempre acreditou nisso e declarou oficialmente, com Pio IX, bem mais tarde, em 1858. Revelar-se como a Imaculada além de comprovar sua santidade é ainda uma indicação de como deve ser a nossa vida: santa, pura, imaculada. Todos nós precisamos buscar a pureza para sermos santos. Quem é solteiro, casado, adulto ou idoso… todos devemos buscar a santidade através da pureza. Pureza no falar, no vestir, na vida honesta, que respeita e vive a santidade em todo e qualquer ambiente (casa, estudo e trabalho).

Comemorar a Festa de Nossa Senhora de Lourdes significa construir um belo santuário para Jesus, e como se dá isso? Vivendo a Palavra do Senhor: olhar para o Alto “buscai em primeiro lugar o reino dos céus” (Mt 6,33), construir capelas, ou seja, praticar a Palavra de Deus (Mt 7,24) e viver a pureza, afinal “os puros verão a Deus” (Mt 5,8).

Padre Marcio Prado é sacerdote da Comunidade Canção Nova e Vice-Reitor do Santuário do Pai das Misericórdias. É autor dos livros “Entender e viver o Ano da Misericórdia” e “Via-sacra do Santuário do Pai das Misericórdias”, pela editora Canção Nova. Twitter: @padremarciocn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.