Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Na 2,1.3;3,1-3.6-7)

Leitura da Profecia de Naum.

2,1“Eis sobre os montes os passos de um mensageiro, que anuncia a paz. Ó Judá, celebra tuas festas, cumpre tuas promessas: nunca mais Belial pisará teu solo; ele foi aniquilado. 3O Senhor há de restaurar a grandeza de Jacó, assim como a grandeza de Israel, pois os ladrões os saquearam e devastaram suas videiras.

3,1Ai de ti, cidade sanguinária, cheia de imposturas, cheia de espoliação e de incessante rapinagem. 2Estalo de chicotes, fragor de rodas, cavalos relinchando, ringir de carros impetuosos, cavaleiros à carga, 3espadas brilhando e lanças reluzentes, trucidados sem conta, mortos aos montes; cadáveres sem fim, tropeça-se sobre os corpos.

6Farei cair sobre ti tuas abominações, e te lançarei em rosto merecidos insultos; de ti farei um exemplo.7Assim, todos os que te virem, fugirão para longe, dizendo: ‘Nínive está em ruínas! Quem terá compaixão dela? Onde achar quem a console?’”

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Dt 32,35-41)

— Sou eu que tiro a vida, sou eu quem faz viver!

— Sou eu que tiro a vida, sou eu quem faz viver!

— Já vem o dia em que serão arruinados e o seu destino se apressa em chegar. Porque o Senhor fará justiça a seu povo e salvará todos aqueles que o servem.

— Saibam todos que eu sou, somente eu, e não existe outro Deus além de mim: quem mata e faz viver, sou eu somente, sou eu que firo e eu que torno a curar.

— Se eu afiar a minha espada reluzente e com as minhas próprias mãos fizer justiça, dos adversários todos hei de me vingar e vou retribuir aos que odeiam.

Evangelho (Mt 16,24-28)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 24Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga. 25Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la.

26De fato, de que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro mas perder a sua vida? Que poderá alguém dar em troca de sua vida? 27Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com a sua conduta. 28Em verdade vos digo: Alguns daqueles que estão aqui não morrerão antes de verem o Filho do Homem vindo com seu Reino”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Nosso coração precisa de renúncias

Precisamos acostumar o coração a fazer renúncias, para que possamos crescer na têmpera, na disciplina e na vontade de Deus

“Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga” (Mateus 16,24). 

A primeira coisa para estarmos atrás de Jesus é renunciarmos a nós mesmos. É difícil renunciarmos à nossa vontade, porque estamos tão cheios de vontade própria, que abrir mão dela se torna um grande duelo em nossa vida. Até compreendemos a vontade de Deus, mas quando ela contraria a nossa vontade, os nossos gostos e tudo aquilo que queremos, vamos deixando de lado a vontade d’Ele.

Para sermos amigo de Jesus, para entrarmos em Sua escola e conseguirmos realmente ser um discípulo d’Ele, precisamos trabalhar a própria vontade e contrariá-la muitas vezes. Precisamos renunciar até mesmo às coisas que são boas e necessárias. Eu sei que entre assistir a uma televisão, quando se está cansado, e ler a Bíblia, é melhor ver a televisão. A carne pede isso, mas o seu espírito precisa da Palavra de Deus.

Não é para ficar o dia todo lendo a Bíblia, mas é preciso, em muitos momentos, contrariar a vontade própria e não se deixar guiar por ela. Dei o exemplo da Bíblia, porém existem tantos outros que eu poderia dar.

Você olha para a sua vida e percebe quantas coisas quer fazer, mas sabe que precisa fazer outra coisa para ter uma vida familiar estável e sadia. Para ter uma vida abençoada, renúncias são necessárias! Mas, no mundo em que vivemos, a palavra “renúncia” não está em moda, mas está sendo desprezada. Precisamos acostumar nosso coração a fazer renúncias, para que possamos crescer na têmpera, na disciplina e na vontade de Deus.

A segunda coisa: tome, pegue e abrace a sua cruz. Abraçar a cruz não é pegar uma cruz de metal ou ter uma no peito e viver abraçado a ela. Você deve ter uma cruz em casa e por onde for, mas ‘abraçar a cruz’ é abraçar a vida, as situações complexas e difíceis; abraçar muitas situações que não gostaríamos de estar passando e vivendo como doenças, sofrimentos, contrariedades, problemas com filhos e com o casamento.

A nossa vida não é uma ‘lua de mel’. Pode até ser que, em alguns dias, ela seja, mas nem sempre dá para ser assim! É importante abraçar a vida com amor, por maior que seja a dureza e a dificuldade que enfrentamos. Se fizermos isso, se renunciarmos à nossa vontade própria, se abraçarmos nossa cruz de cada dia, poderemos seguir o Senhor, ir atrás d’Ele, porque é Ele quem vai nos ajudar a viver as renúncias e carregar a nossa cruz com mais amor.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios