Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Reflexão do Papa antes da oração mariana foi inspirada no Evangelho de João, que fala de Jesus antes de seu nascimento

 “Deus se fez carne para nos dizer que nos ama, ali mesmo, nas nossas fragilidades”, disse o Papa Francisco no Angelus deste domingo, 3. A reflexão antes da oração mariana – realizada no Palácio Apostólico em virtude da pandemia – foi inspirada no Evangelho do dia, que fala de Jesus antes de nascer, como Palavra de Deus para se comunicar com a humanidade, Palavra que se fez carne para habitar com a humanidade e expressar seu amor.

Francisco explicou que o Evangelho de hoje diz que Jesus existia antes do início das coisas, do universo, antes do espaço e do tempo; Nele estava a vida antes do aparecimento da vida.

São João o chama “Verbo”, isto é Palavra. E como a palavra serve para comunicar – não se fala sozinho, sempre se fala com alguém – o fato de Jesus ser desde o princípio a palavra significa que, desde o início, Deus quer falar com a humanidade, disse o Papa.

“O Filho Unigênito do Pai quer nos dizer a beleza de ser filhos de Deus. É a luz verdadeira e quer nos afastar das trevas do mal. Ele é a vida que conhece as nossas vidas e quer nos dizer que sempre as amou. Ele ama a todos nós. Esta é a maravilhosa mensagem de hoje, Jesus é a palavra eterna de Deus que sempre pensou em nós e quer se comunicar conosco”.

E para fazer isso, a Palavra se fez carne. O Papa explicou que João usa a expressão “carne” em vez de “homem”, porque ela indica a condição humana em toda a sua fragilidade. Com isso, a mensagem é que Deus se fez fragilidade para tocar de perto as fragilidades do homem.

“Querido irmão, querida irmã, Deus se fez carne para nos dizer que nos ama, ali mesmo, nas nossas fragilidades, nas suas fragilidades, ali mesmo onde a gente se envergonha demais. É muito audaz isso, essa decisão de Deus”.

O Papa acrescentou que Jesus não assumiu a humanidade como uma roupa que se veste e se tira, mas se uniu para sempre a ela, pode-se dizer que se casou com ela. Pontuou ainda que o Evangelho diz que Jesus veio habitar entre nós: não veio fazer uma visita, mas para habitar, e com isso deseja estabelecer uma intimidade com o ser humano.

“Ele [Jesus] quer que compartilhemos com Ele alegrias e dores, desejos e medos, esperanças e tristezas, pessoas e situações. Vamos fazer isso com confiança, abrir o coração a Ele, vamos contar tudo a Ele”.

“Que a Santa Mãe de Deus, na qual o Verbo se fez carne, nos ajude a acolher Jesus, que bate à porta do coração para habitar conosco”, concluiu o Papa.

Canção Nova/com Boletim da Santa Sé

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios