Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Fiéis se reuniram para acompanhar por telão a cerimônia de canonização no Vaticano e, logo depois, participaram da primeira Missa na igreja que agora é Santuário

Emoção e muita comemoração em Salvador (BA) pela canonização de Irmã Dulce, freira baiana e primeira santa brasileira, ontem, 13. Ainda eram 22h de ontem quando fiéis começaram a chegar à então paróquia da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Largo de Roma, na capital baiana, para acompanhar a celebração. Com a canonização da religiosa, a igreja passou a ser um Santuário a ela dedicado.

Os fiéis passaram a noite em vigília, entoando cânticos e vivendo momentos de Adoração em preparação para a cerimônia de hoje. Na paróquia, foi montado um telão para que os fiéis pudessem assistir à cerimônia que foi presidida pelo Papa Francisco, no Vaticano.

Quando começou a Missa com o Papa, foram lançados vários fogos de artifício, o que se repetiu no momento da cerimônia em que o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Becciu, leu o decreto de canonização que institui irmã Dulce como nova santa da Igreja Católica.

O arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Kruger, leu ainda o decreto que torna a então igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus em Santuário dedicado à Irmã Dulce, o Anjo Bom da Bahia.

Logo após a Missa no Vaticano, foi celebrada a primeira Missa no Santuário de Irmã Dulce, contando com a participação dos fiéis tomados pela emoção por terem agora uma conterrânea como santa. O local, com capacidade para 1400 pessoas, estava lotado.

A celebração foi presidida pelo reitor do Santuário Nossa Senhora de Fátima, padre Emanuel Araújo, SJ.

“Ela [irmã Dulce] se identificou de tal maneira com o Cristo pobre e sofredor que ela não podia olhar para o pobre sem ver Jesus, ela não podia estar diante de um pobre sem ir ao encontro de Jesus para ajudá-lo, para cuidar das suas feridas, para amenizar sua dor e lhe dar consolo”, afirmou padre Emanuel na homilia.

O sacerdote destacou o exemplo de santa Dulce, sua vida de santidade. “O que Jesus está pedindo que eu converta no meu coração diante desta gigante tão pequena? Baixinha, frágil, de voz mansa, mas uma gigante na fé”.

O alimento do coração de irmã Dulce era fazer a vontade de Deus e a vontade de Deus para irmã Dulce era cuidar dos mais necessitados, acrescentou padre Emanuel. “Ela não podia olhar para nada sem ter esse referencial (…) Uma mulher que nunca teve um coração longe do coração de Jesus e por isso não se deixa contaminar pela ambição de poder, pela ambição de riqueza, mas coloca tudo aquilo que tem e é para cuidar de Jesus na pessoa dos pobres”, pontuou.

Festa em Salvador

Na capital baiana, os fiéis iniciaram ontem a Semana da Gratidão, uma semana repleta de atividades como show, Missas, momentos de oração, tudo em preparação à Missa pós canonização que será celebrada no próximo domingo, 20, na Arena Fonte Nova. Estima-se que cerca de 55 mil pessoas vão participar desta celebração que será presidida pelo arcebispo de Salvador, Dom Murilo Kruger.

Nesse dia, a TV Canção Nova transmitirá, a partir das 15h30, a celebração em ação de graças pela canonização da religiosa baiana, com narração, comentários e reportagens especiais. Também será transmitida a Santa Missa, às 17h15 e, encerrando a programação, um Repórter Canção Nova especial sobre Irmã Dulce a partir das 22h.

Jéssica Marçal/ Da Redação, com informações de Rogéria Nair

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios