Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

São Sebastião foi martirizado na última e pior perseguição do Império Romano, que foi a de Diocleciano, por volta do ano 300 d.C. Ele foi sepultado nas catacumbas de Roma que têm o seu nome, e sua festa é celebrada no dia 20 de janeiro.

Segundo uma forte tradição, São Sebastião foi militar, embora não tivesse vocação para isso; mas para ajudar melhor os confessores da fé e os mártires teria ido para Roma e entrado no Exército romano em 283 d.C.

Conta-se que Sebastião converteu muitos para o cristianismo e incentivou muitos cristãos a não negarem a fé diante do martírio. Quando os mártires Marcos e Marceliano, condenados à morte, corriam o risco de falhar em sua resolução por causa das lágrimas dos amigos, Sebastião interveio e os exortou a perseverar.

Por causa de seus milagres e curas muitos se convertiam e recebiam o Batismo, inclusive Cromácio, governador de Roma e seu filho Tibúrcio, que  foram convertidos e sofreram o martírio.

Santo Ambrósio diz que Sebastião nasceu em Milão. Diocleciano, imperador romano, sem conhecer sua fé, quis tê-lo como o centurião de guardas pretorianos, que cuidam da proteção do imperador.

Sebastião teria aproveitado para socorrer os irmãos na fé, os cristãos. Fazia também apostolado procurando converter soldados e prisioneiros, o que conseguia com grandes milagres. Mas, quando Diocleciano descobriu a fé de Sebastião, o destemido e audaz centurião teve de comparecer ante o imperador para dar satisfação sobre o seu procedimento. O imperador se queixou que tinha confiado nele e que esperava dele uma brilhante carreira e ele o havia traído. Foi condenado sem apelação. Segundo a Lenda de ouro, Sebastião foi amarrado a um tronco de árvore e transpassado por setas, na presença de toda a gente e antigos colegas de ofício.

Certo de que estava morto, foi levado para ser sepultado. No entanto, uma viúva, Irene, indo sepultar Sebastião o notou ainda vivo e cuidou dele. Recuperado das flechas, não quis deixar Roma e seu cargo. Diante do imperador reclamou dos maus tratos aos cristãos, o que causou grande surpresa a Diocleciano que o considerava morto. Em seguida ordenou que o Santo fosse espancado até a morte. Seu corpo foi sepultado por uma jovem cristã chamada Lucinda.

Felipe Aquino é autor de mais de 70 livros e apresentador dos programas “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na TV Canção Nova, e “No Coração da Igreja”, na Rádio Canção Nova. Em julho de 2012 recebeu o título de “Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno”, concedido pelo Papa às pessoas que se destacam, no seu trabalho, em prol da evangelização, em defesa da fé e o desenvolvimento da Igreja Católica.

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.