Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Jr 18,1-6)
Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

1Palavra dirigida a Jeremias, da parte do Senhor: 2“Levanta-te e vai à casa do oleiro, e ali te farei ouvir minhas palavras”. 3Fui à casa do oleiro, e eis que ele estava trabalhando ao torno; 4quando o vaso que moldava com barro se avariava em suas mãos, ei-lo de novo a fazer com esse material um outro vaso, conforme melhor lhe parecesse aos olhos.

5Fez-se em mim a palavra do Senhor: 6“Acaso não posso fazer convosco como este oleiro, casa de Israel? diz o Senhor. Como é o barro na mão do oleiro, assim sois vós em minha mão, casa de Israel”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 145)

— Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!

— Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!

— Bendize, minh’alma, ao Senhor! Bendirei ao Senhor toda a vida, cantarei ao meu Deus sem cessar!

— Não ponhais vossa fé nos que mandam, não há homem que possa salvar. Ao faltar-lhe o respiro ele volta para a terra de onde saiu; nesse dia seus planos perecem.

— É feliz todo homem que busca seu auxílio no Deus de Jacó, e que põe no Senhor a esperança. O Senhor fez o céu e a terra, fez o mar e o que neles existe.

Evangelho (Mt 13,47-53)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 47“O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. 48Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam. 49Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, 50e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes. 51Compreendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”. 52Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”. 53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, partiu dali.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Sejamos peixes de boa qualidade

Somos peixes do Reino de Deus. E como precisamos ser peixes de melhor qualidade e espécie!

“O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo” (Mateus 13, 47). 

Olhando o exemplo de um pescador, que sai para pescar e joga sua rede ao mar, podemos ver que dela ele puxa tantas coisas, além do peixe que está procurando: vêm folhas, coisas velhas. Vêm peixes maravilhosos, mas também peixes estragados, que não servirão para o consumo.

O segundo trabalho do pescador é, justamente, separar os peixes bons daqueles que estão estragados, que não servem para nada, a não ser para serem jogados fora. Ainda que o pescador tente lapidar, tirar algo, quando se contaminou toda a carne, aquele peixe realmente não serve para nada.

Deixe-me dizer a você: somos esses peixes do Reino de Deus. E como precisamos ser peixes de melhor qualidade e espécie! Sobretudo, não permitirmos que o mundo nos estrague, que esse tesouro precioso, que somos nós resgatados pelo Sangue de Jesus, sejamos novamente estragados pelo mundo.

É verdade que, no Reino de Deus, Ele transforma peixes ruins, estragados, massacrados, machucados e até desprezíveis, em peixes de melhor qualidade. É verdade que a graça de Deus transforma o que há de negativo dentro do nosso coração!

Esse é o trabalho, a lapidação que Deus realiza por meio de Sua graça em nossa vida, em nossos corações. Mas precisamos nos deixar transformar e não nos permitir estragar de novo, porque, se não nos cuidarmos, vamos tomando veneno, tomando coisas que fazem mal ao nosso organismo, à nossa vida, sobretudo, fazendo mal ao nosso coração.

Todos nós sabemos quão pernicioso, maldoso e criminoso é o pecado para cada um de nós! E se não ligamos mais para ele, no sentido de que dizem: “Eu sou assim mesmo!”, ele cresce, toma forma e corpo, vai se tornando algo comum entre nós. Permita-me dizer: ele [o pecado] vai nos estragando.

O cigarro, num primeiro momento, pode não significar nada, mas sabemos os estragos que ele faz, pois estraga nossos dentes e pulmões. É uma fumacinha que não diz nada. Muitos falam: “Eu fumo há tantos anos!”. Aqui, nem levo em conta se fumar é pecado ou não, mas estou levando em conta o mal e o estrago que o cigarro faz em nossa vida. Entretanto, só quando ele rouba a nossa vida, é que constatamos como nos fez mal! Assim, poderíamos falar de tantas outras drogas! O fato é que a droga do pecado estraga e corrói o melhor que Deus faz em nossos corações.

Não nos deixemos corromper, não sejamos peixes estragados!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova - https://www.facebook.com/rogeraraujo.cn

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL