Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cinco seminaristas da Arquidiocese de Londrina serão apresentados no Santuário de Nossa Senhora Aparecida do Norte do Paraná, na Vila Nova em Londrina, antes de serem ordenados diáconos transitórios, uma etapa na caminhada à ordenação sacerdotal. O dia em que rezarão aos pés da Mãe Padroeira será no próximo domingo (12), na missa das 16h. A ordenação diaconal deles está marcada para o dia 30 de outubro, na Catedral.

“Antes da ordenação diaconal, vamos pedir as bênçãos e a intercessão de nossa Mãe Aparecida, para que nossos seminaristas trilhem esse caminho da vocação sacerdotal com amor, fé e esperança”, ressalta o padre Paulo Rorato, reitor do Seminário Teológico Paulo VI. “Assumir a função de diácono transitório é receber o primeiro grau da ordem, necessário para ser ordenado sacerdote, ou padre como as pessoas conhecem”, avalia o sacerdote.

Serão ordenados diáconos transitórios: Alex Aparecido Barbosa, de 31 anos, de Cambé; Elizeu Bonfim de Souza, de 27 anos, de Curumbataí do Sul (PR); Paulo Ricardo Batista, de 32 anos, de Cambé; Renato Aparecido Ferraz Pelisson, de 33 anos, de Ibiporã; e Rodrigo Nunes dos Santos, de 35 anos, de Mariana (MG). Normalmente, o diácono transitório permanece nessa função de seis meses a um ano, dependendo de cada caso, antes de, enfim, receber  o segundo grau da ordem, que é a ordenação sacerdotal.

Origem e dias atuais

A origem dos diáconos remonta aos primeiros anos da Igreja Católica. Está descrita na Bíblia, no livro dos Atos dos Apóstolos e mostra que os diáconos surgiram para atender a uma necessidade da comunidade, que foi crescendo com o tempo. No relato bíblico, são sete os primeiros: Estevão, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Parmenas e Nicolau. “No início da comunidade cristã, os diáconos ajudavam nas celebrações e na assistência aos mais necessitados. Hoje, a Igreja mantém a função de diáconos, concedendo a ordenação permanente a homens casados”, ressalta o padre Paulo Rorato.

Ao resgatar os princípios da Igreja primitiva, o diaconato permanente se dedica ao serviço do bispo, do altar, da Palavra, do Evangelho e da caridade. Já o diácono transitório, é apenas uma etapa para a ordenação sacerdotal. “Diante de uma sociedade cada vez mais secular, é preciso registrar e valorizar a escolha de jovens que se dedicam à caminhada sacerdotal, que são ordenados diáconos esperando a ordenação ministerial para atuarem como padres.”

Fábio Luporini/Asimp

Da esquerda para a direita: Paulo Ricardo, Elizeu, Alex, Rodrigo e Renato. Ao meio, ao centro, o arcebispo Dom Geremias Steinmetz - Crédito: Terumi Sakai/Arquidiocese de Londrina

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.