Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Programa de validação hospitalar teve início no fim de julho com empresas da região e agora recebe inscrições de empresas e startups de todo o Paraná

Conectar hospitais da região de Londrina com empresas e startups que fabricam produtos e soluções inovadoras para a saúde. Este é o objetivo do Programa de Validação Hospitalar, uma iniciativa inédita promovida pelo Polo da Saúde de Londrina, com execução do Instituto de Ensino, Pesquisa e Inovação da Santa Casa de Londrina (Iepi-Iscal) em parceria com o Sebrae PR. O programa conta ainda com o apoio do SALUS (Saúde Londrina União Setorial) e ALIS (Arranjo Londrinense das Indústrias da Saúde).

Participam do programa os seguintes hospitais: Hospital Santa Casa de Londrina; Hospital Mater Dei; Hospital Infantil Sagrada Família; Hospital Universitário – UEL; Hospital Evangélico de Londrina; Hospital do Câncer de Londrina; Santa Casa de Cambé; Hospital Norte Paranaense - Honpar (Arapongas) e Hospital dos Olhos - Hoftalon (Londrina).

O programa, que começou a rodar em julho de 2020 na região de Londrina, recebe agora inscrições de projetos de todo o Paraná. A ideia é que os empresários tenham um ponto conexão e de interlocução com hospitais para a realização das validações, tendo a oportunidade de evoluir suas soluções. Um diferencial é que o programa é de fluxo contínuo, ou seja, não há prazo para submeter os projetos, já que as inscrições são aceitas durante o ano todo.  

As inscrições podem ser feitas diretamente pelo link: bit.ly/validacao_hospitalar_londrina. O formulário solicita informações sobre a solução, o problema que ela resolve, o estágio de desenvolvimento, aspecto de inovação que traz para o mercado, se testes já foram realizados, se há requisitos legais para os testes exigidos para o produto, a expectativa da empresa em relação à validação em termos de recursos, se ela tem preferência por algum hospital participante, entre outras informações.

A gerente do Iepi-Iscal, Karen Barros Parron Fernandes, explica que, a partir desses dados, o Instituto elabora um parecer técnico e encaminha aos hospitais. “Levamos em consideração a preferência do empreendedor e aderência do projeto ao perfil da instituição”, adianta.

 “Teremos um feedback dos hospitais com relação à experiência do usuário e de profissionais que vão utilizar a tecnologia. Isso ajuda a inovar, melhorar o produto ou serviço, algo que sentimos falta quando estamos desenvolvendo algo novo”, argumenta.

O programa foi lançado em julho e, até o momento, recebeu 15 inscrições de projetos que já estão sendo encaminhados para validação nos hospitais participantes. Outros projetos inscritos que ainda não têm maturidade para o programa, ou não atendem aos requisitos, recebem também um feedback da organização.

Demanda de validação

A consultora do Sebrae/PR, Simone Millan, ressalta que a pandemia aumentou a demanda por validação de produtos na área da saúde. "O programa facilita o caminho percorrido pelas empresas e faz com que as soluções cheguem mais rápido ao mercado", comenta. Ela lembra que vários setores da economia fabricam produtos para a saúde, como o Eletrometalmecânico, Químico, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Vestuário, dentre outros.

“Muitas empresas têm dificuldades em acessar os hospitais para validar os projetos. Muitos criam produtos sem orientação do setor e, depois, percebem que não são adequados e perdem dinheiro”, justifica.

A ideia agora é que projetos de todo o estado do Paraná possam também ter a mesma oportunidade. “Verificamos a demanda local e decidimos expandir para todo o estado, pois tivemos muitos projetos do estado nos procurando. Queremos que todos tenham essa oportunidade”, conclui Shavarski.

Asimp/ Iepi-Iscal

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios