Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“O Governo do Paraná tem se destacado na área da saúde em relação aos outros Estados desde o início da pandemia do novo coronavírus. Entre as ações realizadas, o aumento na capacidade de testagem, a vigilância epidemiológica atuante, a divulgação de orientações e, principalmente, a ampliação de leitos”, destacou o deputado estadual Cobra Repórter (PSD), vice-líder do Governo, ontem (25), quando esteve em Curitiba.

Segundo a secretaria estadual de Saúde (Sesa), no início de março, o Paraná tinha disponível 1.329 leitos de Unidade de Terapia Intensiva, criados ao longo de 30 anos. Deste total, 194 leitos foram destinados para atendimento exclusivo Covid-19 e outros 956 leitos foram criados ou ativados de forma gradual totalizando até 17 de agosto, 1.150 UTI entre leitos adulto e infantil. Além das unidades intensivas, outros 1.633 leitos clínicos, enfermaria, também foram criados.

Com a estratégia de regionalização e descentralização adotada pelo Governo do Estado desde 2019, a Sesa organizou e planejou os leitos distribuídos em quatro macrorregiões. “Atuamos desta maneira para que, a gestão desses leitos pudesse deslocar minimamente o paciente reduzindo o tempo e possibilitando que ficasse próximo à sua residência. Dessa forma, ativamos quando necessários novos leitos e fazemos a gestão buscando respeitar a vontade de família de estar próximo, mas com todas as condições necessária de suporte para o atendimento”, disse o diretor de Gestão em Saúde da Sesa, Vinícius Filipak.

O deputado estadual Cobra Repórter lembrou ainda que o governador Ratinho Junior optou por não instalar Hospitais de Campanha e, sim, ampliar a estrutura já existente, porque, quando a pandemia acabar, os leitos irão permanecer para o atendimento de pacientes com outras doenças.

“O Hospital Universitário de Londrina, por exemplo, vai finalizar a abertura dos leitos exclusivos para pacientes com a Covid-19 no próximo dia 31 de agosto. Serão mais 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva e 25 leitos de retaguarda. Quando todos os leitos estiverem liberados, a estrutura de UTIs do Hospital Universitário de Londrina será a maior de todo o Estado segundo o Governo”, explicou Cobra Repórter.

Meire Bicudo e Veruska Barison/com informações da Sesa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.