Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Objetivo da ação é desenvolver um trabalho de valorização do envelhecimento como forma de prevenção ao suicídio

A Secretaria Municipal do Idoso (SMI), por meio dos Centros de Convivência da Pessoa Idosa (CCIs) Leste e Oeste, promove uma palestra sobre Autoestima, inserida na temática do Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção do suicídio. A atividade integra a programação do Grupo de Convivência Qualidade de Vida e Cidadania e conta com a parceria do Centro de Valorização da Vida (CVV), sendo voltada para o público com idade a partir de 60 anos.

No CCI “Benedito Camargo Sobrinho” da Região Oeste, a atividade acontece nesta quinta-feira (26), às 14 horas, na Rua Serra Pedra Selada, 111, no Jardim Bandeirantes. Já a unidade Leste recebe a palestra na próxima segunda-feira (30), também às 14 horas, na Rua Gabriel Matokanovic, 260, Jardim da Luz. Para participar, basta comparecer no local, sem necessidade de inscrição prévia.

A ação será conduzida pelo porta-voz do CVV, Aparecido Carlos Beltrami. Ele contou que o objetivo da palestra é desenvolver um trabalho de prevenção, buscando ajudar os idosos a identificar os pontos positivos da terceira idade e a valorizar suas experiências de vida. “Muitas pessoas quando envelhecem ficam pensando que a vida está chegando ao fim e isso desestabiliza a questão emocional”, afirmou.

Na ocasião, também será ensinado como identificar os sinais emitidos por amigos ou familiares que precisam de ajuda. “É necessário falar de autoestima também para aqueles que convivem com pessoas vulneráveis ao suicídio, pois para ajudar com efetividade é preciso, primeiramente, estar bem consigo mesmo. Por ser um tema muito pesado e difícil de lidar, muita gente acaba desabando junto se não estiver preparado”, ressaltou Beltrami.

O porta-voz destacou, ainda, que é muito importante tratar desse tema com o público idoso pois é uma faixa que possui grande número de casos de suicídio. “O movimento em torno do Setembro Amarelo busca desconstruir o tabu que existe em torno deste assunto. É preciso, sim, falar sobre suicídio e principalmente desenvolver trabalhos de prevenção, pois é a única forma de se combater esse problema”, finalizou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios