Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os Bancos de Leite Humano dos Hospitais Universitários de Londrina, Cascavel e Maringá trabalham para manter os estoques e atender a demanda, mesmo nos meses mais frios do ano quando as doações costumam diminuir.

Durante toda esta Semana do Aleitamento Materno foram feitas diversas atividades com objetivo de estimular a amamentação e a doação. Cada banco precisa, em média, da doação de 200 litros/mês.

Além de alertar as mães para os benefícios da amamentação, os bancos de leite orientam que o leite materno pode salvar a vida não somente dos seus filhos, como de bebês internados em UTIs Neo Natais e Maternidades.

No Hospital Universitário do Oeste do Paraná, em Cascavel, as doações caíram quase pela metade. Normalmente o banco de leite recebe em torno de 200 a 230 litros de leite por mês, mas em julho só foram arrecadados cerca de 130 litros de leite humano. “Essa queda nos preocupa muito porque a quantidade é muito pequena e não conseguimos atender aos bebês internados na UTI Neo Natal, UCI e ainda alguns da maternidade que precisam do leite materno”, explicou a coordenadora do banco de leite, Anelise Vieczorek.

Já em Maringá, a equipe comemora o número de doações que têm atendido à demanda, ficando em torno de 200 litros/mês. A enfermeira responsável pelo Banco de Leite Humano do HU, Meliana Gisleine de Paula, lembra que o trabalho de divulgação na mídia tem contribuído muito para manter as doações. Ela destaca a importância de poder contar com doadoras assíduas. “Temos mães que doam o leite materno há mais de um ano. São doadoras natas, que não doam porque o excesso de leite as incomoda, mas por saberem que estão ajudando a salvar a vida de muitos bebês”.

É o caso da dona de casa Elizabete Tardin. Desde que seu filho tinha um mês de vida ela começou a doar e não falha uma semana, há mais de um ano. “Eu faço a doação de mais de 2 litros por semana e fico muito feliz em poder ajudar. E quem eu sei que está amamentando eu também incentivo a ser doadora, seja na minha família, na vizinhança e até na rua quando vejo uma mãe com bebê.”

Segundo a coordenadora do Banco do Hospital Universitário de Londrina, Márcia Benevenuto de Oliveira, é necessário reforçar as informações referentes à doação de leite humano para que mais mães pratiquem este ato de solidariedade. “Acredito que a constância de divulgação desse assunto na mídia e até mesmo dentro dos hospitais seria uma forma de aumentar as doações, pois é preciso que pessoas saibam que o leite humano é importante na redução da mortalidade infantil”, explica.

No HU de Londrina em junho do ano passado foram arrecadados 188 litros de leite, enquanto que em junho de 2016 foram contabilizados 177 litros. “Tivemos uma pequena queda nas doações, mas sempre podemos melhorar. Às vezes, as mulheres não sabem que se encaixam no perfil de uma doadora”, lembra Márcia.

A Semana Mundial do Aleitamento Materno deste ano tem como tema "Amamentação: uma chave para o Desenvolvimento Sustentável".

Cartilha

No Hospital da Universidade Estadual de Maringá (UEM) está sendo distribuída uma cartilha sobre a importância do aleitamento materno, o preparo das mamas durante o pré-natal, mitos e tabus na prática da amamentação, entre outros assuntos. 
BLH Londrina: (43) 3371-2390 
Avenida Robert Koch, 60. Caixa postal 791, Vila Operária. 
Atendimento: segunda a sexta-feira das 9h às 16h e aos sábados das 9h às 11h30.
BLH Maringá: (44) 3011-9174
Avenida Mandacarú, 1.590. Jardim Parque das Laranjeiras.
Atendimento: segunda a sexta-feira das 7h às 19h. 
BLH Cascavel: (45) 3321-5243
Avenida Tancredo Neves, 3.224. Santo Onofre.
Atendimento: segunda a sexta-feira das 8h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 8h às 12h.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios