Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Medo dos efeitos colaterais da vacina e fake news são situações que estão dificultando os idosos de tomarem a dose de reforço contra o novo coronavírus

A Secretaria Municipal do Idoso (SMI) está realizando, desde a última terça-feira (29), a busca ativa dos idosos, para chamá-los a receber a segunda dose da vacina contra o novo coronavírus. Até o momento, os servidores municipais conseguiram contactar 200 pessoas com mais de 70 anos. Destes, apenas quatro se recusaram a receber a segunda dose e outros 60 avisaram que já receberam o imunizante em outro município.

Ao todo, a Secretaria Municipal do Idoso está trabalhando com um universo de 900 idosos que receberam uma dose da Coronavac ou da AstraZeneca, e que agora precisam tomar a segunda dose para completar o esquema das vacinas. A busca ativa é feita para chamar esses idosos a comparecem na vacinação, conversar a respeito do assunto e saber o que aconteceu que os levou a não tomar a segunda dose.

Assim, os servidores esperam incentivá-los a cumprir totalmente o esquema vacinal contra a Covid-19, além de tirar as dúvidas e, quando for necessário, até levá-los à sala de vacinação, para receber o imunizante. “É importante chamarmos os idosos para completarem o esquema vacinal, porque somente com a segunda dose eles estarão imunes à doença e conseguirão prevenir casos mais graves da Covid-19. Precisamos reforçar a informação que todas as vacinas aplicadas em Londrina foram aprovadas pela Anvisa e são eficazes contra o coronavírus e suas variantes”, ressaltou a secretária do Idoso, Andrea Ramondini Danelon.

A ação de busca ativa por meio dos telefonemas é importante, porque os idosos fazem parte do público prioritário da vacina contra a Covid-19, pois podem sofrer complicações mais graves, internamentos e até óbitos devido à doença. Por isso, a intenção dos servidores e gestores públicos é trabalhar fortemente a conscientização sobre a eficácia da vacina.

Por meio dos telefonemas é possível fortalecer os vínculos com os idosos e ajudá-los com questões, como o agendamento da data, horário e local para o recebimento da vacina; dar as respostas às dúvidas mais comuns e, até mesmo, fazer contato com parentes ou amigos mais próximos que possam acompanhar a pessoa no dia da vacinação, se esse for o caso. Por isso, com esse trabalho, os servidores têm percebido algumas situações comuns, como o medo dos efeitos colaterais e o recebimento de fake news em grupos de conversas.

“A Secretaria do Idoso faz a busca ativa dos idosos que não se vacinaram ou que precisam tomar a segunda dose do imunizantes, e também realiza a escuta qualificada e identifica as situações que os impedem de se vacinarem. Percebemos que, geralmente, essas situações estão associadas aos mais diversos pontos, como o receio dos sintomas pós-vacina, dificuldades no agendamento, o recebimento de notícias falsas sobre a eficácia da vacina ou, ainda, a dificuldade de ir até o local da vacinação. Por isso, cada situação está sendo atendida com todo o cuidado, para que a vacina chegue a todos”, explicou a diretora de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da SMI, Ana Karina Anduchuka.

Além dessas situações, outras condições podem impedir os idosos de tomarem a segunda dose no tempo certo. Entre elas, a apresentação de sintomas de gripe, ou o recebimento da vacina contra a gripe; assim como a confirmação de Covid-19 em si mesmo ou em familiares que convivem próximos, o que requer uma espera maior para poder tomar a vacina. Os idosos com mais de 70 anos receberam a primeira dose da AstraZeneca, que requer uma espera de 90 dias para a liberação da dose de reforço, e da Coronavac, que requer o intervalo de 28 dias.

Todos os imunizantes disponíveis no momento, em Londrina, têm altos índices de prevenção das formas graves da Covid-19. Eles são fundamentais para a prevenção de internamentos, promoção da saúde e qualidade de vida das pessoas idosas e segundo o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, é a maneira que ajudará os londrinenses e o mundo inteiro sair da pandemia.

Além de chamar os idosos para a dose complementar, a Secretaria Municipal do Idoso fornece orientações importantes. Entre elas, que os idosos podem entrar em contato com os servidores dos CCIs para pedir ajuda com o agendamento do dia e horário para receberem a vacina, assim como para a locomoção até uma das salas específicas para a imunizantes contra a Covid-19. O contato pode ser feito via WhatsApp ou telefonema para o (43) 3375-0307. Todos os servidores da SMI estão aptos para ajudar esse público no que for necessário.

A busca ativa é resultado de uma parceria da SMI com as secretarias municipais de Saúde (SMS) e de Planejamento, Orçamento e Tecnologia (SMOPT), e tem o apoio do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de Londrina (CMDI).

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios