Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A cidade de Cambé teve uma queda de 55% no número de casos do novo coronavírus em julho em comparação ao mês de junho. Durante o mês passado, o município confirmou 475 casos da doença, em junho foram 1061, apontando uma queda de 586 casos da infecção. Os dados disponibilizados pela Secretaria de Saúde também apontam que o município apresentou uma queda significativa na média diária de casos. Em julho, a cidade registrou em média 21 novas infecções por dia, contra 50 no mês anterior.

O número de mortes entre o sexto e o sétimo mês do ano também apresentou queda. No mês de julho foram contabilizadas 28 mortes, já em junho foram 53, resultando em uma diminuição de 47%. Por outro lado, a proporção de óbitos de pessoas sem comorbidades aumentou: em julho foram 53%, enquanto junho apresentou apenas 39% dos óbitos de pessoas sem comorbidades. No âmbito das internações por conta da Covid-19, houve uma queda de 50 – em junho – para 42 internações – em julho. Com a diminuição, dez leitos hospitalares que eram destinados a pacientes com Covid-19 na Santa Casa de Cambé foram desativados.

Ao passo que a vacinação abrange mais pessoas, o número de casos e mortes por causa da doença diminui. Em março, por exemplo, a cidade apresentava média de dois óbitos por dia, em julho a média foi de 0,9, menos de uma morte a cada dia.

Até os últimos dados divulgados pela Secretaria de Saúde, na sexta-feira (06) pela manhã, Cambé já vacinou com a primeira dose da vacina 56318 pessoas e 22228 cambeenses já estão completamente imunizados – seja com as duas doses da vacina ou com a de dose única. Diante dos dados, pelo menos 73% da população apta a receber a vacina já foi imunizada com ao menos uma dose. Ainda segundo a pasta, o município conta com 77 mil pessoas com mais de 18 anos, população para quem a vacina é atualmente destinada.

Segundo informações da Agência Nacional da Vigilância Sanitária, a Anvisa, a vacina só é eficaz após as duas doses do imunizante – ou da vacina de dose única. A Anvisa ainda ressalta que com apenas uma dose da vacina, a pessoa fica mais suscetível a se contaminar com a doença do que quem já tomou as duas doses, além de não auxiliar no controle da doença. Segundo o Butantan, a variante Delta – identificada primeiramente na Índia – já está sendo transmitida comunitariamente no país e, ainda segundo o órgão, apenas as duas doses da vacina conseguem proteger a pessoa contra essa variante.

“Os números são animadores e mostram a eficiência da vacina, mas mesmo com essa queda, precisamos seguir com as medidas preventivas. Se as pessoas não continuarem se cuidando, os números voltam a piorar e as medidas voltam a ser mais restritivas. Acredito que ninguém quer isso. Desta forma, peço novamente a colaboração de todos”, reforça o prefeito Conrado Scheller.

NCPMC

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.