Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com os primeiros casos confirmados de coronavírus no país, as autoridades de saúde reforçam que só são considerados suspeitos de infecção pelo COVID-19 as pessoas que viajaram para países com circulação ativa do vírus, como China e Itália, e que apresentem sintomas de gripe associados à febre até duas semanas depois do retorno ao Brasil. O infectologista Werciley Júnior enumera os sintomas que o paciente infectado pode apresentar.

“Esse é um vírus que causa, basicamente, um quadro gripal. Causa febre, mal-estar, pode causar coriza e tosse seca. Em alguns casos, pode evoluir para um quadro de pneumonia e esse é o quadro grave que pode incluir dificuldade respiratória e até mesmo a necessidade de incubação e levar a óbito. Mas esses que evoluem a óbito são minoria: menos de 2% de todas as pessoas com a doença.”

Entre as medidas para reduzir o risco de contrair ou transmitir o coronavírus, o Ministério da Saúde orienta lavar as mãos com água e sabonete, ao menos cinco vezes por dia; evitar tocar olhos, nariz e boca com as mãos sujas e limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência, de preferência com álcool em gel. Para mais informações, acesse saude.gov.br/coronavirus.

Agência do Rádio

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios