Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A partir de segunda-feira (13), equipe atenderá com uma cobertura de 12 horas, de segunda a sexta-feira, com plantão à distância e mais profissionais

Com o objetivo de ampliar o acesso da população em situação de rua aos serviços de saúde, especialmente neste momento de pandemia do coronavírus, a equipe do Consultório de Rua recebeu um reforço a mais em Londrina. Agora, a equipe conta com a ajuda de mais uma enfermeira, além das seis profissionais que já a compõe e das três residentes médicas da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Em breve, mais duas auxiliares de enfermagem também devem somar à equipe.

Além da chegada de mais uma enfermeira, que atuará nesses três meses de maior necessidade, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vai estender o horário de trabalho da equipe. A partir da próxima segunda-feira (13), as profissionais vão atender de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, ou seja, realizarão uma cobertura de 12 horas de trabalho àqueles que se encontram em condições de vulnerabilidade e com os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados.

A coordenadora do Consultório na Rua e das Práticas Integrativas da SMS, Jucelei Pascoal Boaretto explicou que a nova enfermeira foi contratada através do chamamento público realizado pela SMS para o enfrentamento à COVID-19, doença causada pelo Coronavírus. O contrato é de três meses, podendo ser prorrogado por igual período. Além dela, a expectativa é que outros dois auxiliares de enfermagem também venham trabalhar nesse serviço.  “É de extrema importância ampliarmos o número de servidores dentro da equipe, porque é um desafio muito grande fazermos o isolamento social, tanto para quem está em casa, quanto para quem está em situação de rua. Além disso, como trabalhamos para atender as pessoas in loco, ter uma equipe um pouco maior ajuda a atender mais pessoas de forma mais efetiva”, ressaltou a coordenadora.

Plantão

O serviço de atendimento às pessoas em situação de rua vem sendo realizado em Londrina desde 2012. Ele funciona de segunda a quinta-feira, das 7h às 13h, e sempre que necessário atende nos demais períodos. A equipe também foi autorizada a receber mensagens e telefonemas pelo plantão à distância nos finais de semana e nos demais horários, a partir de segunda (13). Para entrar em contato, basta telefonar para (43) 99994-9029, que será feito o atendimento remoto.

Reforço contra o COVID-19

A equipe multiprofissional permanente é composta por uma enfermeira, assistente social, psicóloga, educadora social e duas auxiliares de enfermagem. Com o reforço da nova enfermeira, das três residentes médicas da UEL e das duas auxiliares de enfermagem, elas estão ajudando no combate ao COVID-19.

As profissionais realizam o atendimento da demanda nas ruas e, com a parceria da Secretaria Municipal de Assistência Social e da Mitra Arquidiocesana de Londrina, fazem a avaliação e a classificação de risco para o encaminhamento aos abrigos São Vicente Palotti (onde estão os idosos), Centro de Espiritualidade Monte Carmelo (onde ficam as mulheres), Casa de Retiro Emaús (onde foram acolhidos os homens assintomáticos) e ao Centro Dia que está recebendo os pacientes com sintomas da síndrome respiratória e suspeita de COVID-19.

A intenção é realizar as visitas semanalmente, e em alguns casos específicos mais de uma vez. A coordenadora do programa lembra que é importante que a Prefeitura e a população em geral se atentem àqueles mais vulneráveis, visto que o ainda é grande o número de subnotificados, principalmente quando se trata daqueles que parecem não ser vistos pela maioria da população. “A receptividade das pessoas em situação de rua tem sido muito boa. Eles têm uma conscientização boa do vírus e estão aceitando ir para os abrigos e receber o acolhimento. Com isso, estamos cuidando deles e daqueles que estão a sua volta”, disse.

Atualmente, estão cadastradas 497 pessoas que já passaram pelo atendimento e que são monitoradas. A demanda de atendimento fica em torno de 300 por mês. As profissionais acompanham pessoas diagnosticadas com tuberculose e sífilis, entre outras doenças, e fazem o tratamento in loco, ou seja, vão até onde o paciente se encontra. O Consultório de Rua é uma Política Nacional de Atenção Básica instituída pelo governo federal através do Sistema Único de Saúde (SUS).

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios