Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Até o fim da campanha, no dia 22 de maio, serão entregues 75 milhões de doses para uma população estimada de 67 milhões de pessoas

No dia 23 de março, o Ministério da Saúde iniciou a 22ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A 1ª fase vai até 15 de março para idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde. Entenda:

Estados e municípios de todo o país realizam a primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, até 15 de abril, para idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde. O Ministério da Saúde antecipou a campanha, de abril para março, para proteger, de forma antecipada, os públicos mais vulneráveis aos vírus mais comuns da gripe – que são o Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).

O Ministério ressalta que as vacinas são distribuídas de forma escalonada. Isso significa que as vacinas são distribuídas para os estados de forma gradual, respeitando a produção do Instituto Butantan, em São Paulo. Até o fim da campanha, no dia 22 de maio, serão entregues 75 milhões de doses para uma população estimada de 67 milhões de pessoas.

Quem explica os perigos da gripe e fala sobre a organização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe deste ano é a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, Francieli Fontana.

Coordenadora, vamos começar pelo básico. Quais são os malefícios da gripe?

“Influenza também é conhecida como gripe. É uma infecção do sistema respiratório. Pode apresentar complicações em alguns casos e entre as principais complicações estão as pneumonias. A popular gripe também é responsável por grande número de internações hospitalares em todo o país.”

Como ocorre a transmissão?

“Influenza pode ser transmitida de forma direta ou por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada, quando essa pessoa espirra, tosse ou fala. Pode ser transmitida também de forma indireta, pelas mãos, no contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado. As mãos podem levar o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos. Não há diferença na transmissão dos tipos de influenza sazonal: pode ser direta e indireta, conforme eu expliquei.”

Como se proteger?

“A vacinação contra a gripe é considerada uma das principais medidas de combate à doença. Essa vacina que nós estamos disponibilizando ela oferece imunidade as três cepas mais  prevalentes que circulam em qualquer estação. A melhor maneira de reduzir as chances de adquirir a influenza grave e espalhar para outras pessoas é a vacinação".

Quantas vacinas serão disponibilizadas no Brasil?

“Vamos disponibilizar 75 milhões de doses da vacina Influenza durante todo o período da campanha. Estamos fazendo a distribuição da vacina de forma escalonada. Conforme recebemos do Instituto Butantan vamos encaminhando aos estados. Até o final da campanha, 75 milhões de doses serão distribuídas para um público estimado em 67 milhões de pessoas.”

A vacina contra o Influenza é segura para as pessoas?

“Sim. A vacina da gripe é bastante segura e muito efetiva. É utilizada em milhões de pessoas todos os anos e é uma vacina recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Conforme acontece com qualquer medicamento, pode ocorrer algum efeito adverso. Os mais frequentes são: no local da aplicação às vezes o indivíduo pode apresentar um pouco de dor, de vermelhidão, o braço ficar um pouco endurecido. Em torno de 15 a 20% dos vacinados podem apresentar essa sintomatologia. Essas reações costumam ser leves e desaparecem em até 48h. No caso de sintomas que não são esperados, como febre muito alta, irritabilidade extrema, sinais de dor abdominal ou recusa alimentar após a vacinação, recomenda-se buscar uma unidade de saúde para fazer uma avaliação imediata.”

A vacina protege contra todo tipo de influenza?

“Não. A vacina protege somente contra os vírus contemplados na sua composição. Então, é uma vacina trivalente, contra três tipos de vírus: Influenza A, H1N1, Influenza A H3N2 e o Influenza B. Ela protege especificamente contra esses vírus contemplados na sua composição, que são vírus que circulam no país e podem trazer complicações.”

Quais são os riscos para as pessoas que não se vacinarem?

“É uma vacina importante para as pessoas que fazem parte dos públicos-alvo e, sem ela, essas pessoas podem adoecer e desenvolver complicações. Entre elas, a principal é a pneumonia e alguns casos chegam à morte. Então, é muito importante que as pessoas se vacinem.”

E, para mais informações sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, acesse: saude.gov.br/vacinabrasil.

Agência do Rádio

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios