Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O senador Flávio Arns (Rede-PR) usou as redes sociais para destacar as medidas defendidas pelo seu mandato no combate à pandemia causada pelo novo coronavírus. O parlamentar divulgou nota ontem (24) apoiando ações como a retirada do PLN4 da pauta de votações do Congresso Nacional e a destinação do recurso previsto na proposta, cerca de R$ 20 bilhões, para o Ministério da Saúde. 

Arns também defendeu que os R$ 2 bilhões previstos para o Fundo Eleitoral sejam redirecionados para o enfrentamento da crise. “Todos os nossos esforços devem estar direcionados para o combate ao COVID-19. Precisamos, principalmente, de recursos financeiros para isso. Por isso, defendemos que os recursos do PLN4 e do Fundo Eleitoral sejam investidos no combate à pandemia”, manifestou o senador.

Segundo Arns, o mandato está mobilizado, ainda, em outras frentes e em permanente diálogo com diversos segmentos da sociedade. “Estamos apoiando ações de enfrentamento à grave crise que estamos vivendo e que exige nossa total atenção neste momento”, afirmou. 

O Senado vota hoje a MP da Negociação de Dívidas Tributárias (MP 899/2019), criada para estimular a regularização de débitos fiscais e a resolução de conflitos entre contribuintes e a União. A sessão será remota, por meio de aplicativo desenvolvido que permite a votação dos senadores a distância. Na semana passada, os senadores usaram a tecnologia para votar o PDL 88/2020, que decretou o estado de calamidade pública no país. 

“O Senado está inovando neste momento e permitindo que as votações ocorram com segurança. As tecnologias estão nos ajudando a seguir com a apreciação de medidas que são urgentes e necessárias. Não podemos parar”, disse Arns.

Greicy Pessoa/Asimp

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.