Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“Eu nunca canso de me dizer: dengue mata e é preciso o apoio permanente da população para eliminar os criadouros do mosquito transmissor. Um levantamento da secretaria estadual de Saúde aponta que cerca de 90% dos focos estão em residências. É um percentual extremamente alto”, alertou o deputado estadual Cobra Repórter, vice-líder do Governo.

A secretaria estadual de Saúde (Sesa) aponta, em seu último boletim da Dengue, divulgado na terça-feira (06), o registro de 741 casos confirmados da doença no período epidemiológico. São 163 casos a mais que a publicação anterior.

O atual período epidemiológico começou a ser monitorado em agosto deste ano e seguirá até o final de julho de 2021.

A publicação confirma o segundo óbito do período ocorrido no município de Assaí de uma mulher de 74 anos, que sofria de hipertensão. O primeiro óbito deste período foi no município de Apucarana.

Há 4.870 casos notificados no Paraná e 2.220 estão em investigação. Atualmente, 109 cidades apresentam casos confirmados da doença. Os municípios com maior número de casos em relação ao informe anterior são Cambé, Foz do Iguaçu, Paranaguá, Umuarama, Santa Terezinha de Itaipu, Cascavel, Maringá e Londrina.

 “O Governo do Paraná está em alerta e mobilizado contra a dengue”, disse o secretário de Saúde, Beto Preto. “Aprovamos, na semana passa, o Plano de Ação para o Enfrentamento da Dengue, Zika Vírus e Febre Chikungunya, em reunião com representantes das secretarias municipais de Saúde”, informou.

O boletim quinzenal traz ainda 2 casos confirmados de Chikungunya, um caso autóctone registrado em Londrina, e outro importado, em Araucária,  além de 21 notificações para a doença. Em relação a Zika Vírus o informe apresenta 12 notificações.

Meire Bicudo e Veruska Barison/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios