Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“Mesmo com a alta procura pelas vacinas contra a Covid-19 no mundo todo, não é incomum ouvir falar sobre pessoas que receberam a primeira dose do imunizante e que não procuraram pela segunda dose. Não deixe de tomar a segunda dose, após o intervalo recomendado, para que você seja imunizado adequadamente e, assim, aumentar a sua defesa contra o coronavírus”, ressaltou o vice-líder do Governo, o deputado estadual Cobra Repórter (PSD).

Uma nova remessa com 118.170 doses de vacinas contra a Covid-19 partiu, na ontem (29), do Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, com destino às 22 Regionais de Saúde do Estado. O lote é formado pelo imunizante Comirnaty, produzido pela Pfizer/BioNTech, que chegou na noite de quarta-feira (28) ao Paraná.

Das vacinas que estão sendo distribuídas, 50.310 são para aplicação da primeira dose (D1) na população geral, fora do grupo prioritário, para dar avanço no calendário vacinal em todas as regionais. As outras 67.860 são para completar a imunização de pessoas com comorbidades, deficiência, gestantes e puérperas, que receberam a primeira dose do imunizante em maio.

A secretaria estadual de Saúde (Sesa) já tinha iniciado, na quarta-feira, o envio de 85 mil vacinas para as regionais. Nesta semana, o Paraná recebeu do Ministério da Saúde 649.420 doses de imunizantes, 80% deles para segunda dose (D2). Os que não foram distribuídos nesta semana, ficarão armazenados no Cemepar para envio próximo à data da segunda aplicação.

“Vale destacar ainda que a Sesa, o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmaram a transmissão comunitária da variante delta do coronavírus no Paraná”, alertou o deputado Cobra Repórter. O conceito é definido quando o contágio entre pessoas ocorre no mesmo território, entre indivíduos sem histórico de viagem e sem que seja possível definir a origem da transmissão.

"Diante desse quadro, que requer atenção, mas não desespero, ressaltamos mais uma vez a importância fundamental das medidas não farmacológicas, que são o uso de máscara de proteção de forma correta, a higienização frequente das mãos e o distanciamento social, além da imunização na data que a dose estiver disponível”, disse o secretário estadual de Saúde, Beto Preto..

A variante delta, linhagem B.1.617.2, originada na Índia em outubro de 2020, é uma das variantes do SARS-CoV-2 que apresenta mutações genéticas múltiplas e é denominada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) "variante de atenção/preocupação" por alterar o comportamento do coronavírus, ser mais transmissível do que outras linhagens.

Meire Bicudo e Veruska Barison/Com informações da Agência Estadual de Notícias

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.