Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Começou como uma rede de apoio para falar sobre os filhos com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) e trocar experiências. O grupo cresceu e foi além da conversa pelas redes sociais. Uma vez por mês as mães realizam o encontro do Grupo Amigos dos Autistas, que em menos de dois anos já reúne cerca de duzentas pessoas de Londrina, Cambé e outras cidades da região.

As famílias estarão neste sábado (30), a partir das 9 horas no Calçadão, em Londrina, e na próxima terça-feira (2), no Dia Mundial de Conscientização do Autismo, no Calçadão, em Cambé. De acordo com as mães, há casos de crianças que tem o transtorno mas não foram diagnosticadas. E após o diganóstico existe o desconhecimento sobre os direitos.

A pessoa com TEA é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais, direito garantido pela Lei federal nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Segundo as mães, a  lei ainda não garante os direitos previstos. 

Para Luciene Mariano, mãe de Matheus, de 11 anos, a prioridade ainda é desconhecida ou ignorada. “As pessoas ainda entendem como deficiência apenas a que podem ver, como o cadeirante. A gente ainda luta pela prioridade no atendimento. A criança autista tende a ficar agitada se precisa esperar. Cada criança reage de uma forma, mas a agitação, choro ou gritos são interpretados como birra”, contam. “Em vez de prioridade no atendimento, ou um acolhimento, geralmente recebemos o olhar crítico”, completa. “A primeira coisa a fazer é acolher a mãe, perguntar o que ela precisa. Quer que eu ligue para alguém?”, comenta Luciene.

Para Kelly Martins Araújo, mãe do Miguel, de 3 anos, a prioridade no atendimento está no topo dos direitos que ainda precisam ser respeitados. “Mesmo nos estabelecimentos de saúde nós precisamos aguardar. A gente tem que insistir, brigar pelos direitos dos nossos filhos”, comenta.

Alguns direitos mencionados pelo Grupo Amigos dos Autistas:

Atendimento preferencial em órgãos públicos e privados

Jornada de trabalho reduzida para pais de crianças autistas

Cobertura do Plano de Saúde

Matrícula em qualquer instituição de ensino

Acompanhante especializado nas instituições de ensino

Atendimento multiprofissional pelo SUS

Compra de veículo novo com 30% de desconto

Identificação especial

Benefício previdenciário de 1 salário mínimo

Autismo

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é caracterizado por padrões de comportamentos repetitivos e dificuldade na interação social. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que há 70 milhões de pessoas com autismo em todo o mundo, sendo 2 milhões somente no Brasil. Estima-se que uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência em meninos.

LEI FEDERAL Nº 12.764, DE 27 DE DEZEMBRO DE 201.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm

Rosi Guilhen/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios