Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Sessão Especial do Conselho Diretor da OPAS atualizou a situação da pandemia nas Américas

Oministro da Saúde, Eduardo Pazuello, participou, ontem (10/12), da Sessão Especial do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). O encontro atualizou a situação da pandemia da Covid-19 nas Américas e discutiu o acesso igualitário de vacinas para todos os países da região.

Em sua fala, Pazuello destacou a adesão do Brasil ao consórcio Covax Facility, com a adesão a 42,5 milhões de doses oriundas de nove laboratórios diferentes; e o acordo feito com Oxford/AstraZeneca, que garante 100,4 milhões de doses já no primeiro semestre e a transferência de tecnologia para a produção própria pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz). O ministro assegurou que, tão logo essa transferência esteja completa, o Brasil estará pronto para trabalhar com os países da Região das Américas em suas estratégias de vacinação.

“Estamos prontos, logisticamente, para iniciar a vacinação. Nós publicamos definições preliminares da estratégia de vacinação da Covid-19, que vai ocorrer em quatro fases. O Brasil possui o maior programa público de vacinação do mundo, o PNI, com 38 mil salas de vacinação pelo país”, destacou.

Com os acordos internacionais e nacionais, o Brasil possui, atualmente, mais de 300 milhões de doses de vacinas garantidas. A aprovação por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é aguardada para o início da imunização dos brasileiros e brasileiras. O ministro também destacou a ajuda dada pelo Brasil para outras nações durante a pandemia: “Oferecemos treinamento laboratorial para nove países da América do Sul e doamos equipamentos e insumos para o combate à Covid-19 a nossos vizinhos”, disse.

Na sessão, o diretor-assistente da OPAS, Jarbas Barbosa, elogiou a exibição do Ministro da Saúde sobre as medidas adotadas pelo Brasil e avaliou positivamente as tratativas brasileiras para participação na Covax, assim como acordos bilaterais para compra de vacina.

Pazuello concluiu reafirmando o compromisso do Brasil no enfrentamento à doença: “Compromisso com os princípios de solidariedade e de acesso justo e equitativo a vacinas, diagnósticos e medicamentos para a Covid-19. Ninguém estará seguro até que todos estejamos seguros.”, concluiu Pazuello.

Marina Pagno/Ministério da Saúde

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.