Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Que É Escoliose? 

A escoliose é uma alteração na coluna vertebral, que apresenta um desvio para lateral e lordose (que é a inclinação maior na região lombar). A escoliose pode afetar a região cervical da coluna (mais raro), torácica ou lombar. 

O nome da escoliose depende da região afetada e para que lado é o desvio lateral. Por exemplo, uma escoliose na região lombar, que apresenta desvio para o lado esquerdo irá se chamar escoliose lombar esquerda. 

Causas da Escoliose 

A escoliose pode ter diversas causas. Ela pode ser hereditária, estar associada a algumas síndromes ou doenças, pode ter relação com a prática inadequada de atividade física ou ainda ser idiopática, isto é, sem causa definida. 

A escoliose não ocorre por causa de má postura, é justamente o contrário: muitas vezes há má postura por causa da escoliose. 

Tipos de Escoliose 

Congênita

Escoliose presente desde o nascimento. 

Neuromuscular 

Geralmente presente em pacientes com outras doenças, como paralisia cerebral, distrofia muscular, entre outras. 

A escoliose desses indivíduos costuma ser muito acentuada, ficando a coluna com o aspecto de curva em formando de "C". 

Idiopática 

Escoliose a qual não se sabe exatamente a causa. Acredita-se que pode ter um fator hereditário ou ser causada apenas por posturas erradas, mas não se consegue definir exatamente a causa específica da escoliose. 

A escoliose idiopática pode afetar crianças, jovens e adultos. 

A escoliose também pode ser classificada como estrutural ou funcional. 

Escoliose Estrutural 

Ocorre pela deformidade óssea congênita, sendo na maioria dos casos, irreversível. 

Escoliose funcional 

A estrutura óssea está preservada e ocorre como manifestação secundária a algum problema ou distúrbio, como, por exemplo, crescimento desigual das pernas. Esse tipo de escoliose é reversível e tem tratamento. 

Fatores de Risco 

A escoliose costuma afetar mais meninas, em idade de crescimento (até os 15 anos), mas não está limitada a esse grupo. 

A escoliose pode estar associada a alterações musculares ou ósseas, por genética ou adquiridas durante a vida. 

Diagnóstico 

Para diagnóstico da escoliose, é necessário um exame físico apurado, observando o paciente em diversos ângulos. 

Além disso, geralmente é solicitado exames de raios-X do paciente. 

Existe um teste bastante específico, denominado Teste de Adams, o qual é bastante utilizado para diagnóstico da escoliose. 

Nesse tipo de exame, o paciente deve flexionar-se para frente e para baixo, deixando bem visível a curvatura da coluna. 

A avaliação postural do paciente é muito importante, bem como a análise do chamado Ângulo de Cobb, que é um ângulo medido na radiografia do paciente. 

Com base nesses testes e exames, o médico ortopedista terá um diagnóstico preciso da escoliose. 

Tratamento -A Importância Da Fisioterapia 

Entender como é o paciente e o grau de escoliose presente é fundamental para o tratamento adequado. 

Há tipos de escoliose na qual o paciente não apresenta dor, nem limitação de movimento. 

Geralmente, o tratamento é conservador e o objetivo é reduzir a dor, aliviando os sintomas. 

Em geral, o tratamento inclui técnicas de fisioterapia, como a Reeducação Postural Globalizada (RPG), que são exercícios de alongamento, fortalecimento da musculatura e estimulação elétrica. 

Exercícios de fortalecimento da musculatura são extremamente importante para casos de dor. 

De acordo com Helder Montenegro, um dos maiores especialistas no tratamento de doenças da coluna, a grande maioria dos casos de dor na coluna está relacionada com a falta de fortalecimento da musculatura profunda que envolve a coluna. 

No caso da escoliose, a fisioterapia tem um papel muito importante, pois o tratamento está diretamente ligado à sessões fisioterápicas. 

Quando se trata de pacientes cuja causa é passível de se descobrir, por exemplo, pacientes obesos com escoliose, a perda de peso torna-se fundamental como parte integrante do tratamento. 

A cirurgia para pacientes com escoliose só é recomendada para casos muito específicos, para pacientes adultos, quando a escoliose é acima de 50o e há comprometimento dos pulmões, por exemplo. 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios