Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A taxa de letalidade do novo coronavírus nas crianças é bem baixa, mas nem por isso devemos relaxar nos cuidados que temos com elas. O grande perigo é que elas são vetores muito poderosos, já que podem carregar o vírus silenciosamente. Um estudo realizado na China com 2.143 crianças mostrou que mais de 90% das que contraíram o vírus permaneceram assintomáticas ou com sintomas leves. Ou seja, elas podem passar a Covid-19 para os mais velhos sem percebermos.

É difícil lidar com os pequenos durante essa assustadora crise. Nathani de Souza, especialista em saúde infantil na página Saudável&Forte, afirma que a primeira coisa que devemos fazer em termos de prevenção é explicar para a criança o que está acontecendo no mundo, de maneira que elas compreendam a gravidade da situação, mas sem deixá-la apavorada. Se você tiver dificuldades nesse diálogo, estão sendo produzidos diversos materiais infantis sobre o assunto que poderão auxiliar, como a cartilha do Ministério da Saúde.

Quando a criança entender a necessidade de tomar as medidas corretas de prevenção, ficará mais fácil para ela torná-las habituais. Você deve averiguar se ela está lavando a mão corriqueiramente, não encostando em muitas superfícies ou tossindo sem cobrir o rosto.

Pelo fato de serem potenciais vetores, é muito importante que você não leve seus filhos com você quando precisar sair de casa. O entendimento da doença também ajudará na hora dos pequenos aceitarem o isolamento. Mas, sem escola e amigos, você também deverá tomar muito cuidado com a saúde mental das crianças. Mesmo se a sua rotina estiver apertada, sempre tire tempo para brincar com elas: invente jogos, conte histórias, deixe um espaço na casa para que ela possa correr e brincar. Desse jeito, não se sentirão tão sufocadas.

Para bebês não há como explicar a doença e a prevenção, então tudo depende apenas dos adultos. Nesse caso, o cuidado deve ser redobrado, já que crianças menores levam a mão à boca constantemente. Então, sempre que possível, lave as mãozinhas do neném da maneira adequada. Lembre-se de abandonar o hábito de limpar o nariz do bebê sempre com o mesmo pano – dê preferência aos descartáveis. Também não deixe o seu filho ir no colo de outras pessoas, pois isso pode facilitar muito a transmissão.

Se houver necessidade de levar o bebê com você para a rua, tome ainda mais cuidado, principalmente com as roupas e sapatinhos. Aqui, entra uma especificidade dessa fase da vida: mesmo que hoje o uso de máscaras seja recomendado para todos, não as utilize em crianças menores de dois anos. As vias aéreas ainda são muito pequenas nessa idade, então ter que respirar com esse obstáculo pode ser difícil e levar à asfixia. Além disso, eles também não conseguem retirar a máscara sozinhos se estiverem passando por essa dificuldade.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios