Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com 20 leitos, sendo 14 de isolamento, a estrutura foi toda reformada e teve espaço ampliado em 619 m2. O serviço começa a funcionar nesta semana. O secretário da Saúde Caputo Neto anunciou também a construção de um novo pronto-socorro para o hospital

O Governo do Estado inaugurou no último dia 11 as novas instalações da UTI adulto do Hospital Universitário (HU) de Londrina. Com 20 leitos, sendo 14 de isolamento, a estrutura foi inteiramente reformada e teve seu espaço ampliado em 619 m2. A previsão é que o serviço comece a funcionar no novo espaço já a partir de hoje (16).

Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 2,7 milhões nas obras de adequação. O investimento faz parte de um amplo programa de reestruturação do HU, vinculado à Universidade Estadual de Londrina (UEL). “Estamos promovendo uma grande transformação neste hospital, que é a principal referência de atendimento SUS na região. Uma iniciativa que demonstra a nossa preocupação com a saúde da população do Norte do Estado”, destaca secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.

No caso da UTI, duas alas receberam melhorias: UTI 1 e UTI 2. A primeira operava em condições precárias, sobretudo de climatização, e apresentava sérios problemas de infiltração. Já a segunda estava interditada desde setembro de 2014, por conta da necessidade de intervenções físicas solicitadas pela vigilância sanitária.

“Prezamos pela qualidade dos serviços ofertados à população. Por isso, essa obra era prioridade absoluta, porque além de possibilitar a abertura de novos leitos garantiu melhores condições de atendimento na estrutura já existente”, declarou o secretário. “É este tipo de investimento que salva vidas”, afirmou.

Em pouco mais de 31 anos de história, a UTI adulto do HU de Londrina já atendeu quase 30 mil pacientes. A maior parte diz respeito a casos graves que necessitavam de atenção especializada, como vítimas de acidentes de trânsito, acidente vascular cerebral (AVC), entre outras demandas de urgência e emergência.

O número expressivo reforça a importância da estrutura para o atendimento das demandas de saúde vindas de toda a região, ainda mais com a instalação da nova base do helicóptero de resgate do Governo do Estado em Londrina. Além disso, a unidade tem sido essencial para a formação de novos médicos, principalmente por conta do programa de residência baseado no espaço.

De acordo com a superintendente do HU de Londrina, Elizabeth Ursi, apesar das dificuldades o trabalho desenvolvido na UTI sempre foi reconhecido como destaque por contar com equipe técnica capacitada. “Cerca de 70% dos nossos pacientes encontram neste ambiente uma melhora de sua condição de saúde. Um índice impressionante, quando pensamos na gravidade desses casos”, disse.

Ela relata ainda que recentemente a UTI do Hospital recebeu um reconhecimento nacional pela atuação na rede pública de saúde. “Fomos contemplados com o Selo Participação no Registro Nacional de Terapia Intensiva, o que coloca nossa UTI no nível das melhores do país em termos de resultado”, diz a superintendente.

A expectativa é que dentro de três meses outros 10 leitos de UTI adulto sejam entregues no hospital. Com isso, subirá para 30 o número de leitos deste gênero. O HU conta ainda com 10 leitos de UTI neonatal, 10 de cuidados intermediários neonatal, 5 de UTI pediátrica e 6 de UTI para queimados.

Pronto-Socorro

Na solenidade, o secretário Caputo Neto anunciou também a construção de um novo pronto- socorro para o hospital. A obra está em licitação e deve dobrar a capacidade de atendimento da estrutura. Serão destinados cerca R$ 17 milhões em recursos do Estado, divididos em três etapas. Neste ano, R$ 1 milhão já será liberado.

“Queremos consolidar este hospital como referência em urgência e emergência. Para isso, se faz necessário uma ampliação significativa no Pronto-Socorro, que é a principal porta de entrada do Samu, do Siate e do helicóptero de resgate”, explica o secretário.

O projeto prevê a reforma dos 900 m2 do piso térreo, que hoje abriga 47 leitos e passará a ter 90 leitos. Em seguida, será construído mais três andares, que serão a base para a instalação do centro de trauma, da unidade cardiovascular (10 leitos) e de uma nova ala de internação.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, disse que o apoio do Estado tem sido essencial para a qualificação dos serviços de saúde na cidade. “Vamos reformar a maternidade, o pronto-atendimento infantil e 13 unidades de saúde, tudo com recursos do Estado. Também temos parcerias importantes em outras áreas que refletem diretamente na qualidade do atendimento às pessoas”, afirmou.

No HU, o Estado está custeando ainda a troca do telhado, a reforma da ala masculina de internamento e a construção da maternidade, que vai mais do que duplicar a capacidade da atual estrutura. O número de leitos de internação subirá de 34 para 76.

São quatro pavimentos, com pronto-socorro obstétrico, centro cirúrgico com duas salas; sete salas de pré-parto, parto e puerpério; enfermarias com leitos de internação; 20 leitos de UTI neonatal, unidade de cuidados intermediários, entre outras alas de atenção materno-infantil.

A expectativa é que o prédio, que já está com quase metade da estrutura concluída, seja inaugurado no segundo semestre de 2018. O investimento do Estado chega a aproximadamente R$ 12,5 milhões.

AEN

Clique nas fotos para ampliar

Divulgação/AEN
Divulgação/AEN
Divulgação/AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios