Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Foto: Pixabay

Aos poucos, a ciência vai descobrindo como o novo coronavírus age no corpo das mulheres grávidas. Tanto em relação às vacinas, como aos tratamentos e às reações do corpo, as gestantes sempre são um caso à parte em qualquer teste. Por isso, tudo era feito com maior cautela. Agora, um estudo apresentou uma perspectiva esperançosa: as grávidas que já tiveram covid-19 podem passar os anticorpos para os bebês.

O estudo foi realizado no Hospital da Pensilvânia e publicado na revista JAMA Pediatrics. Ao todo, foram analisadas 1471 mulheres que estavam em trabalho de parto ou haviam parido recentemente, todas entre 28 e 35 anos. Entre elas, 83 testaram positivo para a covid-19 no momento do parto, sendo que 60% estavam sem os sintomas da doença. A equipe realizou testes PCR em todas as gestantes.

O que se viu foi que, das 83 grávidas que estavam com a doença, 72 transmitiram anticorpos para os bebês. O anticorpo transmitido foi o do tipo IgG, ou seja, o de longa duração. Já o anticorpo IgM, aquele que aparece no organismo alguns dias depois da contaminação, não foi encontrado em nenhum recém-nascido. Isso também mostra que a covid-19 não é transmitida de mãe para filho.

Os pesquisadores também observaram que o tempo entre a contaminação pelo coronavírus e o parto influenciava diretamente na quantidade de anticorpos presentes nos bebês. Quanto maior o intervalo, mais anticorpos eles possuíam.

Apesar de o estudo ter sido feito com uma amostragem baixa, os resultados podem ser um caminho para o planejamento da imunização das gestantes em todo o mundo. A principal questão é a possibilidade de proteger os bebês através da vacinação das mães. Isso abre espaço para outras descobertas, como o melhor mês de gestação para a aplicação da vacina em uma grávida, considerando em qual intervalo serão transmitidos mais anticorpos aos bebês.

Um projeto recente do Senado brasileiro busca adicionar as mulheres grávidas e puérperas ao grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização. Este é um grupo que precisa de muitos cuidados em relação à doença, já que o contato com hospitais é bem maior e alguns dos riscos ainda são, em parte, desconhecidos.

Quando uma mulher grávida é infectada pelo coronavírus, vários cuidados devem ser tomados. O ideal é manter a boa alimentação e a hidratação adequada. Além disso, também é indicada a ingestão de vitaminas para gestantes, principalmente as Vitaminas C e D, que melhoram a imunidade e a resposta do organismo aos agentes infecciosos.

Cabe ressaltar que os resultados do estudo ainda não são totalmente conclusivos. Os próprios pesquisadores mantêm algumas questões abertas: se os anticorpos encontrados nos bebês são realmente eficazes para proteger os recém-nascidos da covid-19, qual seria a concentração necessária e se os anticorpos transmitidos pelas mulheres vacinadas serão iguais aos que são passados naturalmente.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios