Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As gestantes de Londrina e as puérperas até 45 dias após o parto, ambas com mais de 18 anos, com a presença ou não de comorbidades, foram incluídas no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19

As gestantes de Londrina e as puérperas até 45 dias após o parto, ambas com mais de 18 anos, com a presença ou não de comorbidades, já podem agendar a vacinação contra a Covid-19. Para receber a dose é necessário agendar um dia e horário no portal da Prefeitura de Londrina. Lembrando que os agendamentos só serão possíveis após a validação do cadastro.

Para receberem a vacina, as gestantes sem comorbidades devem apresentar o exame laboratorial/ecográfico ou o cartão de pré-natal comprovando sua gestação atual ou, no caso de serem puérperas, comprovação do parto por documento de registro de alta hospitalar ou Certificado de Nascimento, sem necessidade de nenhum relatório específico.

A medida foi possível devido à Nota Técnica emitida pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), na última sexta-feira (11), com a decisão de incluir este público no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19, utilizando vacinas que não contenham vetor viral, ou seja, Sinovac/Butantan (Coronavac) ou Pfizer/BioNTech (Comirnaty), e respeitando a decisão e autonomia da mulher.

A Nota Técnica lembra que, em maio deste ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Programa Nacional de Imunizações (PNI) orientaram interromper temporariamente o uso da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz contra o SARS-CoV-2 em gestantes e puérperas, resultante do monitoramento e vigilância dos casos de eventos adversos disponíveis no Brasil.

Com isso, foi mantida a continuidade da vacinação para gestantes e puérperas com comorbidades, utilizando outras vacinas já aprovadas para uso no Brasil, produzidas pela Sinovac/Butantan(Coronavac) e pela Pfizer/BioNTech (Comirnaty), que não contêm vetor viral, e suspensa temporariamente a vacinação de gestantes e puérperas sem comorbidades.

Contudo, como os óbitos maternos têm aumentado, a Sesa decidiu pela vacinação das gestantes sem comorbidades utilizando vacinas que não contenham vetor viral. A decisão do Governo do Estado considera que gestantes e puérperas são consideradas grupo de risco para a Covid-19, especialmente no terceiro trimestre de gestação e período pós-parto.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios